Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / chuva / blogs e colunas / obituário / polícia

Tupi tem eleição neste sábado com resultado já suspenso pela Justiça

Chapas JR 2020 e SOS Tupi disputam a administração do clube no triênio 2020-2022; votos são registrados na sede entre 9h e 17h, mas vencedor não será empossado

Por Bruno Kaehler

04/10/2019 às 17h47- Atualizada 04/10/2019 às 20h10

O futuro do Tupi possui capítulo importante neste sábado (5). No fim do dia, deverá ser conhecido o novo presidente executivo carijó, bem como a chapa vencedora com os associados que irão compor o Conselho Deliberativo alvinegro de 2020 a 2022. A eleição será realizada na sede social da agremiação, localizada na Rua José Calil Ahouagi, 332, no Centro, de 9h às 17h.

Contudo, o pleito, confirmado pelo juiz da 7ª Vara Cível de Juiz de Fora, Edson Geraldo Ladeira, terá resultado inicialmente suspenso. A decisão ocorreu ainda nesta sexta (4), pelo juiz Mauro Francisco Pitelli. Segundo documento, foi determinado que a chapa vencedora da eleição não seja imediatamente empossada até uma nova avaliação da documentação relativa ao pleito. A análise será de responsabilidade da 2º Vara Cível de Juiz de Fora.

LEIA MAIS: 

De um lado do pleito está a chapa JR 2020, encabeçada por José Luiz Mauler Júnior, o Juninho, presidente do Tupi entre 1999 e 2004, e atual mandatário do Conselho Deliberativo e do Conselho Consultivo do clube. O grupo possui como candidato a vice Edemir Miranda de Campos. Também concorre aos votos o movimento SOS Tupi, que tem Cloves Moura Santos, ex-vice presidente de futebol carijó, como candidato ao comando executivo, e Oswaldo Ribeiro, para vice.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo previsão no estatuto social, podem votar os associados nas modalidades beneméritos, grande patrono, proprietário e sócio-família maiores de 18 anos, quites e em dia com suas obrigações estatutárias.

JR 2020

Um das propostas de Juninho é o investimento no futebol de base do clube (Foto: Felipe Couri)

 

O Grupo Solar realizou, nas últimas duas semanas, entrevistas com os candidatos à presidência tanto no Mesa Quadrada, programa da TMTV, quanto no Super Bate Bola, da CBN Juiz de Fora. Questionado sobre as prioridades, caso eleito, Juninho revelou que não deverá revitalizar o Salles Oliveira, campo carijó de Santa Terezinha, e que já estuda, com uma construtora interessada, a venda da estrutura para a posterior compra de um espaço na BR-040, onde seria construído um novo centro de treinamento do clube, estrategicamente posicionado, próximo do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. Ainda segundo o ex-presidente, as categorias de base serão estruturadas. Ao contrário de Cloves, Juninho rechaçou a possibilidade de reformar o estatuto com a permissão de votos de sócio-torcedores, justificando que a iniciativa seria uma injustiça com os associados do clube.

SOS Tupi

Uma das propostas de Cloves é a gestão nos moldes de sociedade anônima (Foto: Felipe Couri)

Enquanto Juninho afirma que sua chapa é “independente e neutra”, quando questionado sobre o apoio dado e recebido da atual situação nos últimos anos e para esta eleição, a SOS Tupi nasceu como oposição, tendo atuado, sobretudo, nas redes sociais, como crítica não apenas ao momento vivido pelo clube – ponto pacífico entre as chapas -, mas também à atual gestão da diretoria alvinegra. Segundo Cloves, uma das principais metas do grupo, se vencedor, é promover uma reforma estatutária findando a figura do presidente executivo e criando um conselho gestor para dividir o poder de decisão no clube. O ex-VP de Futebol alvinegro ainda afirmou idealizar uma gestão nos moldes de sociedade anônima (S/A).

No futebol, a SOS Tupi também afirma que irá investir na formação de atletas, sendo contrária aos moldes da atual parceria entre o clube e o empresário e consultor de futebol alvinegro, André Luiz. De acordo com Cloves, o clube não possui voz ativa em situações como a do empréstimo dos cinco atletas do sub-20 para time de Portugal antes da segunda partida da semifinal do Campeonato Mineiro da categoria.

Tópicos: tupi



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia