Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Justiça não encontra documentos no Tupi, mas clube afirma entrega

Oficial cumpre mandado de busca e apreensão, mas não obtém as informações referentes ao pleito carijó; Tupi diz ter enviado os documentos nessa terça


Por Bruno Kaehler

02/10/2019 às 19h51- Atualizada 03/10/2019 às 07h36

Nesta quarta-feira (2), um oficial de justiça cumpriu o mandado de busca e apreensão na sede do Tupi, atrás de documentos referentes ao processo eleitoral. Contudo, segundo certificado em registro da 7ª Vara Cível de Juiz de Fora, com relato do oficial, o profissional não obteve sucesso na apreensão.

Segundo o relato do oficial Gilberto de Oliveira Miranda, ele foi ao clube no final da tarde de terça (1º), e a sede estava “sob os cuidados da vigilância, que alegou não se encontrar ali nenhum funcionário, nem diretor e nem o representante legal do réu”. Seguindo o registro em documento, o profissional teria retornado à sede às 8h55, mas a diretoria estaria fechada. Ligou, então, para a presidente carijó Myrian Fortuna e para o mandatário da Comissão de Fiscalização Eleitoral (Cofel), Jarbas Raphael Cruz, mas novamente sem contato obtido.

O conteúdo continua após o anúncio

Por fim, às 9h30, conseguiu encontrar Jarbas na sede e, mesmo após Gilberto acompanhar o diretor alvinegro até um prédio na Avenida Rio Branco, não apreendeu os documentos. Segundo Jarbas, ele não os possuía impresso.

Relato completo do oficial de justiça (Foto: Reprodução)

No entanto, o Tupi, em nota enviada no fim da tarde desta quarta, afirmou que “no que diz respeito às últimas notícias envolvendo a entrega e exibição de documentos às chapas participantes da eleição, informa que apresentou na data de 01/10/2019, tempestivamente e pela via adequada, o solicitado, em cumprimento à ordem judicial. Ademais, conforme será demonstrado em Juízo, informa que, a documentação na qual o Estatuto Social exige que seja apresentada antes das eleições foi devidamente entregue às chapas requerentes. Com relação à certidão do oficial de Justiça veiculada na imprensa, esclarece que foi informado ao mesmo no ato, de que os documentos já teriam sido apresentados em Juízo desde o dia 01 de outubro, tal como consta do processo. O Tupi Foot Ball Club renova neste ato, o compromisso com a lisura do processo de eleição.”

Tópicos: tupi

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia