Tópicos em alta: cartas a jf / sergio moro / dengue / polícia

Audiência pública debate futuro da Mercedes em JF

Vereadores consideram a possibilidade de a montadora transferir suas atividades para SP ou para o ES

Por Fabíola Costa

12/04/2019 às 16h50- Atualizada 12/04/2019 às 17h20

Com o objetivo de debater se há risco de a montadora Mercedes-Benz transferir suas atividades em Minas Gerais para outros estados, será realizada, nesta segunda-feira (15), uma audiência pública da Comissão do Trabalho, da Previdência e da Assistência Social da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O encontro acontece às 13h30, na Câmara Municipal de Juiz de Fora. A solicitação partiu dos deputados Celinho Sintrocel (PCdoB), que preside a comissão, Betão (PT) e Coronel Henrique (PSL). Os parlamentares consideram a possibilidade de a montadora transferir suas atividades para São Paulo ou para o Espírito Santo.

Segundo Celinho, a incerteza gera preocupação. “Uma decisão desse porte pode multiplicar o desemprego, pois a unidade hoje emprega cerca de 1.500 trabalhadores. Pode ainda reduzir drasticamente a atividade econômica no Estado, que já vem sofrendo com os problemas na mineração, e comprometer ainda mais a arrecadação estadual e também de cidades situadas na Zona da Mata, com graves repercussões na vida da população”, salientou o parlamentar.

O conteúdo continua após o anúncio

A Tribuna procurou a montadora nesta sexta-feira, que confirmou reunião para “alinhamento de temas da fábrica de Juiz de Fora”. Para a Mercedes, participar dessas reuniões faz parte da rotina e da proximidade da empresa com todos os seus públicos. “Reforçamos que a fábrica de Juiz de Fora é responsável pela produção de todas as cabinas de caminhões Mercedes-Benz e tem importância estratégica para a companhia, atuando em sinergia com a planta de caminhões de São Bernardo do Campo (SP).”

Em março, a Mercedes assegurou que não irá fechar a unidade juiz-forana. Os rumores sobre o esvaziamento da planta ganharam força depois que a montadora confirmou que levará a montagem do caminhão Actros para a planta de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e que estuda a possibilidade de transferir o processo de nacionalização das sprinters que chegam da Argentina via Porto Seco para o Porto de Vitória, no Espírito Santo. Essas notícias têm gerado apreensão entre trabalhadores, população e autoridades mineiras.

Conforme a ALMG, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia informou, por meio de nota, que está em contato com a Mercedes e que trabalha para que não haja redução e nem paralisação das atividades em Juiz de Fora. De acordo com a nota, a empresa deve manter suas iniciativas no local, sobretudo, a fabricação e a pintura de cabinas de caminhões. Foram convidados para a reunião autoridades estaduais, como o secretário de Estado de Governo, Custódio Mattos, e municipais, como o prefeito Antônio Almas. Também foram chamados representantes da Mercedes, do Sindicato dos Metalúrgicos e trabalhadores.

Tópicos: negócios

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia