Tópicos em alta: cartas a jf / sergio moro / dengue / polícia

Fabricação de termômetros e medidor de pressão de mercúrio está proibida

Por Tribuna

13/01/2019 às 07h03

Já está proibida no Brasil a fabricação, a importação e a comercialização de termômetros e de esfigmomanômetros (aparelhos para verificar a pressão arterial) que utilizam coluna de mercúrio para diagnóstico em saúde. A medida entrou em vigor no dia 1º de janeiro e foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) em março de 2017. A proibição também inclui o uso desses equipamentos em serviços de saúde, que deverão fazer o descarte adequado.

O Ministério de Saúde informou, por meio de nota, que a determinação aprovada em conjunto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cumpre o compromisso assumido pelo país na Convenção de Minamata, que debateu os riscos do uso do mercúrio para a saúde e para o meio ambiente. A convenção foi assinada por mais de 140 países em 2013 e tem como objetivo eliminar o uso de mercúrio em diferentes produtos. A resolução, porém, não veta o uso doméstico de termômetros de mercúrio para quem que já possui o equipamento. Desta forma, a população poderá continuar usando os termômetros domésticos, desde que tenha cuidado em seu armazenamento e manuseio para evitar quebra do vidro. O produto, se estiver em boas condições e íntegro, não oferece riscos à saúde.

A orientação para o consumidor que deseja se desfazer do termômetro de mercúrio é mantê-lo provisoriamente em casa até a divulgação dos pontos de recolhimento.

O conteúdo continua após o anúncio

Precauções em casos de acidentes

  • Isolar o local e não permitir que crianças brinquem com as bolinhas de mercúrio
  • Abrir as janelas para arejar o ambiente
  • Recolher, com cuidado, os restos de vidro com toalha de papel ou luvas e colocar em recipiente resistente à ruptura, para evitar ferimento
  • Localizar as “bolinhas” de mercúrio e juntá-las com cuidado, utilizando um papel cartão ou similar, evitando contato da pele com o mercúrio
  • Recolher as gotas de mercúrio com uma seringa sem agulha, sendo que as gotas menores podem ser recolhidas com uma fita adesiva
  • Transferir o mercúrio recolhido para um recipiente de plástico duro e resistente ou vidro, colocar água até cobrir completamente o mercúrio a fim de minimizar a formação de vapores de mercúrio, e fechar o recipiente
  • Identificar/rotular o recipiente, escrevendo na parte externa “Resíduos tóxicos contendo mercúrio”
  • Não usar aspirador, pois isso vai acelerar a evaporação do mercúrio, assim como contaminar outros resíduos contidos no aspirador

Importante: os materiais utilizados durante o procedimento, como luvas e seringas, também deverão ser colocados em embalagens rotuladas e não devem ser descartados em lixo comum

Fonte: Ministério da Saúde e Anvisa

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia