Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Mais de cem escolas particulares aderem à ocupação de 100% nas salas de aula em JF

Nota técnica publicada na sexta-feira possibilita retomada nas últimas semanas do ano letivo; escolas municipais têm autonomia para optar pelo fim das bolhas


Por Gabriel Silva e Elisabetta Mazocoli, sob supervisão da editora Fabíola Costa

22/11/2021 às 16h56

A partir desta segunda-feira (22), as escolas de Juiz de Fora puderam retornar as atividades presenciais com ocupação de 100% dos alunos em sala de aula. A autorização foi concedida pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), por meio de nota técnica publicada na última sexta-feira (19), e terá adesão de todas as instituições privadas de ensino vinculadas ao Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino da Região Sudeste de Minas Gerais (Sinepe/Sudeste), segundo a própria entidade. Para as últimas semanas do ano letivo, entretanto, o retorno é optativo para os alunos, de modo que as escolas continuam com o formato on-line para quem permanecer em casa.

Pelo novo protocolo da PJF, a ocupação de 100% das salas de aula depende da manutenção do distanciamento de um metro entre os alunos, além de distância de um metro e meio nas áreas de circulação e refeitórios. A medida é válida tanto para as escolas privadas, quanto para as escolas públicas. Em contato nesta segunda-feira, a Secretaria de Educação (SE) da Prefeitura informou que as escolas municipais também podem retornar com a ocupação total, caso tenham condições de cumprir com o protocolo.

A reportagem entrou em contato com a Superintendência Regional de Educação de Juiz de Fora para questionar qual é a orientação para as escolas estaduais, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. Entretanto, o Governo de Minas Gerais já havia autorizado o retorno de 100% da ocupação nas salas de aula desde o início deste mês, dando fim ao modelo de bolhas. Restava, então, apenas a anuência do Município.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo o Sinepe/Sudeste, na última reunião do sindicato, todas as escolas sinalizaram pela volta, indicando que as cerca de 110 instituições de abrangência da entidade vão aderir ao retorno com a totalidade da ocupação. “O fundamental, como tenho dito incansavelmente, é usar máscara, fazer a higiene das mãos e manter o distanciamento recomendado. É de fundamental importância manter as medidas não farmacológicas. Do contrário, veremos acontecer por aqui, o que vem acontecendo na Europa. É preciso ter essa consciência”, reflete a presidente do Sinepe/Sudeste, Anna Gilda Dianin.

Escolas adotam estratégias para esse fim de ano

O Colégio dos Jesuítas foi um dos que optou por aderir à volta com ocupação total das salas. No primeiro dia, retornaram 73,6% dos alunos do ensino médio e 65% do ensino fundamental II, ainda durante a manhã de segunda. De acordo com Josiane de Souza Paiva, assessora pedagógica, o colégio segue os padrões estabelecidos pelos órgãos municipais de saúde e de educação. “Nosso protocolo estabelece criteriosos controles dos sintomas da doença que são monitorados por um grupo de trabalho, assim como o uso de máscara obrigatório em todas as dependências, divisão dos espaços, controle de fluxos de circulação e escalonamento nas entradas e saídas com a finalidade de evitar aglomerações”, explica.

Já no Colégio Academia, a adesão ao ensino presencial foi de 60% dos alunos do ensino médio e de 50% no fundamental. Na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, a instituição já operava com todos os alunos em sala, uma vez que as salas comportam o distanciamento preconizado. “A gente espera que, à medida em que o aluno veja que o colega veio, o outro perca o medo e venha também. A expectativa é que, neste fim de ano, a gente possa aproveitar a aula presencial o máximo possível”, afirma o coordenador do Colégio Academia, Márcio Ferreira Braga.

No Colégio Apogeu, o diretor da unidade juiz-forana, Ricardo Nunes, estima que dois terços dos estudantes já haviam retornado para as aulas presenciais. Na instituição, os professores foram divididos de modo que uns ficaram encarregados das aulas presenciais, enquanto outros ficam apenas nas aulas on-line. O colégio optou por ampliar a ocupação das salas apenas para os alunos do terceiro ano do ensino médio. As demais turmas seguirão o protocolo anterior, com bolhas de 50% de ocupação. “Para nossos alunos das turmas regulares e grande parte das turmas preparatórias já estamos na reta final, quase encerrando o ano letivo de 2021. Mas estamos com muita confiança em um 2022 com clima de 100% presencial, como algo novamente normal”, conclui o diretor.

Tópicos: coronavírus

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia