Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

PJF libera 2ª dose de AstraZeneca para quem estava agendado até 2 de outubro

Após pausa no feriadão, calendário da Pfizer e da Coronavac também terá prosseguimento


Por Renan Ribeiro

13/10/2021 às 21h12

Com o retorno da aplicação das vacinas contra a Covid-19 nesta quarta-feira (13), após o feriado prolongado de Nossa Senhora Aparecida, a Prefeitura de Juiz de Fora informou que foram aplicadas 4.808 doses totais dos imunizantes, sendo 402 primeiras doses, 3.901 segundas doses e 505 doses de reforço. Com os novos números, o município soma 750.897 aplicações, sendo 841.371 primeiras doses, 303.367 segundas doses e doses únicas e 7.757 doses de reforço.

Ainda conforme a PJF, a segunda aplicação de Astrazeneca voltará a ser disponibilizada nessa quinta-feira (14). Devem comparecer aos postos as pessoas que deveriam ter recebido o imunizante no dia 2 de outubro ou em data anterior. Ainda de acordo com a Prefeitura, a intenção é seguir acertando o calendário de Astrazeneca conforme o recebimento de novas remessas.

Também devem se apresentar às unidades de saúde quem deveria ter recebido a primeira dose de vacina da Pfizer no dia 19 de agosto ou antes. O mesmo vale para aqueles vacinados com a Coronavac, que têm no cartão de vacina retorno agendado para dia 14 ou data anterior.

Pontos de vacinação e documentação

Todos os imunizantes estatão disponíveis nas dez Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de referência, das 8h às 12h; em outras 36 UBSs, das 8h às 11h; além do Departamento de Saúde do Idoso (DSI), das 8h às 11h e das 13h às 16h, e no PAM-Marechal, das 12h30 às 18h.

Os indivíduos com 12 anos ou mais que, por qualquer motivo, não tenham recebido a dose inaugural, podem ser vacinados normalmente.

O conteúdo continua após o anúncio

Também ficarão disponíveis as segundas doses de Coronavac e Pfizer; as doses de reforço para os idosos com 60 anos ou mais, que receberam a segunda dose até o dia 15 de abril; para os trabalhadores da saúde de 58 anos ou mais que receberam a dose 2 há pelo menos seis meses e para os imunossuprimidos, que receberam a segunda dose há pelo menos 28 dias. Todas as pessoas pertencentes a esses grupos podem comparecer aos postos já mencionados.

Quem vai receber a primeira dose deve apresentar originais e cópias do documento de identificação com foto – como documento de identidade (RG) ou carteira de motorista, e o CPF, caso o número do mesmo não conste na identidade, além do comprovante de residência, que ficará retido no local de vacinação. Caso o comprovante de residência não esteja no nome de quem vai ser vacinado, é necessário apresentar cópia do comprovante, do documento de identidade da pessoa que tem o nome no comprovante de residência e, ainda, a declaração. A PJF também reforça a necessidade de levar o formulário impresso, cujo modelo está disponível no site da Prefeitura.

As demais pessoas que vão receber a D2 ou os idosos que vão receber a dose de reforço precisam apresentar apenas o cartão de vacina e um documento de identificação com foto. Já os imunossuprimidos, além destes documentos, devem apresentar um laudo ou atestado médico datado de, no máximo, 12 meses, comprovando a condição. Este público pode receber a dose de reforço a partir de 28 dias após a segunda dose.

Os trabalhadores de saúde de 58 anos ou mais, para receber a dose de reforço, devem apresentar um documento, sem a necessidade de levar uma cópia, da carteira de registro do Conselho de Classe e também um comprovante de vinculação ativa do profissional com o serviço de saúde ou apresentação de declaração.

Os profissionais autônomos devem estar em atividade presencial comprovada por declaração própria. Para os cuidadores de idosos, a comprovação é via registro em MEI ou carteira de trabalho assinada para esta função.

A Prefeitura ainda reitera que a vacinação será realizada de acordo com a disponibilidades de doses no município.

Tópicos: coronavírus / vacina

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia