Tópicos em alta: eleições 2018 / chuva / polícia

Imagens de câmeras de segurança podem ajudar na investigação do atropelamento de sete pessoas

Caso ocorreu no São Mateus, na madrugada de quinta-feira (13), onde dezenas de pessoas haviam assistido a jogo pela TV; quatro vítimas permanecem internadas

Por Sandra Zanella e Michele Meireles

13/09/2018 às 10h17 - Atualizada 13/09/2018 às 20h30

Motorista disse que perdeu o controle da direção ao ter o carro atingido por um objeto arremessado no para-brisa (Fotos: Corpo de Bombeiros)

Sete pessoas foram atropeladas em frente à calçada de um bar na esquina das ruas Doutor Romualdo e São Mateus, no bairro homônimo, na Zona Sul de Juiz de Fora. O grave acidente assustou moradores e frequentadores da região, mobilizando várias viaturas policiais e de socorro no início da madrugada desta quinta-feira (13), por volta de meia-noite e meia. Os feridos, com idades entre 18 e 29 anos, foram socorridos para quatro unidades de saúde da cidade. Quatro vítimas ainda estão internadas, e pelo menos três delas seriam submetidas a cirurgia. O caso, ocorrido pouco tempo depois do término do jogo entre Flamengo e Corinthians, pela semifinal da Copa do Brasil, reascendeu a discussão sobre a aglomeração de pedestres na rotatória, que ocorre sobretudo em dias de partidas de futebol.

De acordo com a Polícia Militar, o motorista do carro que atingiu o grupo, de 55 anos, sofreu agressão logo após o episódio, e militares precisaram intervir, controlando populares e retirando o homem do local. O condutor é morador da Doutor Romualdo, conforme a PM. Ele informou aos policiais que transitava pela Rua São Mateus e, quando passava perto da rotatória, teve seu veículo atingido por um objeto que teria sido arremessado, danificando o para-brisa. Neste momento, ele disse ter se assustado e perdido o controle direcional, subindo no passeio e atingindo os pedestres. Em seguida, o motorista afirma ter levado um soco no supercílio esquerdo e ter sido alvo de copos arremessados contra ele.

Antes de ser levado ao HPS, o condutor, cuja ocupação é de atendente, foi submetido ao teste do etilômetro que, segundo a PM, não constatou consumo de bebida alcoólica. A polícia também precisou isolar o local para o socorro às vítimas, e o trânsito ficou interditado, impedindo inclusive a circulação de ônibus urbanos. Os militares arrolaram duas testemunhas que disseram ter visto o momento do acidente. Uma delas é um empresário, 33. Ele contou à Tribuna que, logo após o acidente, os frequentadores do bar chegaram a ser ameaçados por um homem armado. “Ele sacou sua arma, ameaçando a mim e às demais pessoas que foram vítimas do motorista.” Ainda segundo ele, o objetivo seria impedir que filmassem ou fotografassem a cena do acidente.

Ele acrescentou que a aglomeração de pessoas já havia diminuído àquela hora, mas pondera que a gravidade poderia ter sido maior. “O bar já estava com menor movimento, as pessoas estavam todas na calçada. O carro nem tentou fazer a curva, passou por cima da rotatória, invadiu a calçada e só parou pois bateu na coluna do estabelecimento. Caso contrário, entraria dentro do bar, aumentando o número de vítimas.”

A outra testemunha qualificada no boletim de ocorrência é o proprietário do estabelecimento comercial afetado, 27. Ele relatou à PM que não visualizou o momento do acidente, mas presenciou o desenrolar dos fatos. Ao jornal, ele disse ter levado muito susto. “Eu estava abaixado no balcão e não assisti o atropelamento. Só vi depois que o pessoal já estava no chão. Ninguém entendeu nada, porque não tem lógica o que ele fez, de não fazer a rotatória e quase entrar na contramão.” Apesar de ter tido uma coluna do bar atingida, e parte do piso interno danificado, o comerciante afirma: “Meus danos foram meus amigos que machucaram”, informando que dois deles estavam entre as vítimas.

 

Sete pessoas ficaram feridas após o carro invadir a calçada (Fotos: Corpo de Bombeiros)

 

Quatro vítimas permanecem hospitalizadas

A ocorrência mobilizou diversas unidades do Samu e do Corpo de Bombeiros no socorro aos feridos. Três homens, de 23, 27 e 29 anos, também foram levados para o HPS. Os dois mais novos precisaram ser encaminhados ao centro cirúrgico, porque estavam em situação mais grave, conforme a PM. A outra vítima foi inicialmente para a sala de urgência. Já na tarde desta quinta-feira (13), de acordo com a assessoria da Secretaria de Saúde, dois pacientes estavam na enfermaria, e o mais velho deles estava no setor de observação. Todos os três apresentavam quadro clínico estável.

Um jovem de 23 anos foi conduzido para a Santa Casa. Ele teve uma fratura na tíbia e precisou ficar internado. Conforme a assessoria do hospital, o paciente estava lúcido, orientado, com previsão de que passaria por cirurgia ainda na quinta. A única mulher ferida, 23, foi socorrida ao Monte Sinai. Segundo a PM, ela teve um corte no pé, sendo medicada e liberada. Para a UPA Norte foram encaminhados dois rapazes, de 18 e 19 anos, os quais apresentavam escoriações. Eles foram medicados e também deixaram a unidade antes da chegada da PM.

O conteúdo continua após o anúncio

Já o motorista, recebeu alta do HPS e foi levado ainda durante a noite para o plantão da 1ª Delegacia Regional, em Santa Terezinha. Segundo a assessoria da Polícia Civil, o homem foi ouvido e liberado, sendo instauradas diligências preliminares para apuração do acidente. O caso seguiu para investigação na 1ª Delegacia, responsável pelas ocorrências da Zona Sul da cidade.

A Perícia da Polícia Civil realizou os levantamentos no local para poder ajudar a elucidar as causas do ocorrido. A PM também verificou a presença de uma câmera do Olho Vivo situada no cruzamento das ruas São Mateus e Romualdo. As imagens poderão auxiliar as investigações. O veículo envolvido foi apreendido por estar com licenciamento atrasado.

Mulher já havia sido atropelada na mesma calçada há um mês

Há pouco mais de um mês, a mesma calçada na esquina das ruas São Mateus e Doutor Romualdo já havia sido palco de um atropelamento, revelando a vulnerabilidade do local, confirmada com o sinistro ocorrido nesta quinta-feira (13), com sete pessoas feridas. Na madrugada do dia 9 de agosto, uma mulher de 22 anos sofreu grave ferimento em uma das pernas ao ser atropelada em cima do passeio por um carro que seguia em alta velocidade. O veículo era conduzido por um adolescente, 17, que acabou detido em flagrante com um rapaz, 18, após cruzar a cidade praticando direção perigosa.

Carro ficou sobre a calçada (Foto: Gleison Afonso)

Antes de atingir a pedestre na Rua Doutor Romualdo, o motorista ainda chocou-se contra um carro que contornava a rotatória no cruzamento da via com a Rua São Mateus. Os dois ocupantes – uma advogada, 28, e um gerente, 31 – sofreram ferimentos leves, mas dispensaram serem conduzidos para atendimento médico. Já a mulher atropelada foi socorrida pelo Samu e precisou ser internada no HPS. Ao ser questionado sobre o motivo da fuga, o jovem respondeu à PM que não parou por não possuir carteira de habilitação. Além de o motorista ser inabilitado, o veículo estava com o arame da placa violada e foi notificado nas diversas infrações. O carro atingido também estava sem licenciamento e foi apreendido.”Desde o primeiro acidente pedimos para a Prefeitura colocar suportes na calçada para proteção. Se tivesse essa barreira, não teria acontecido nenhum dos dois acidentes”, avalia o proprietário do bar, 27, situado na mesma esquina.

Para o presidente da Associação dos Moradores e Comerciantes do Bairro São Mateus, Homero da Silva Adário, a fiscalização naquela área deveria ser mais rigorosa. “Há transtornos frequentes, mas acho muito difícil mudar isso, porque todo mundo fica nas calçadas dos bares bebendo. Nem é culpa dos comerciantes, porque os próprios frequentadores até levam suas próprias bebidas em muitas das vezes.” Ele lembra que o trânsito acaba ficando prejudicado em dias de muito movimento.

Fiscalização

Em nota, a Secretaria de Atividades Urbanas (SAU) informou que não é responsável por fiscalização de obstrução de via pública por aglomeração de pessoas. No entanto, conforme o documento, “realiza a fiscalização rotineiramente da região, que inclusive foi intensificada, de situações de posturas municipais como o uso indevido de mesas e cadeiras sem autorização e o abuso na utilização de som automotivo. Vale ressaltar que a utilização de vias e logradouros públicos para colocação de mesas, cadeiras ou similares depende da prévia permissão do Poder Executivo”, diz o texto. Ainda conforme a secretaria, “os bares e restaurantes podem pleitear autorização para uma possível colocação de mesas e cadeiras nas calçadas e tais autorizações serão analisadas pela Comissão chamada de Mobiliário Urbano, baseada em parecer técnico, instruído conforme regulamento, que levará em consideração as condições locais”. A SAU informou que, de janeiro de 2017 a agosto de 2018, foram realizadas mais de 700 ações, como notificações, intimações, autuações e diligências fiscais relacionadas a estabelecimentos, como bares e casas noturnas.

Sobre os dois bares situados nas esquinas entre as ruas São Mateus e Doutor Romualdo, a SAU informou que o estabelecimento atingido no acidente desta quinta-feira (13) tem alvará válido até 2019. Já o outro bar teve seu alvará vencido em agosto e foi intimado pela fiscalização no dia 22 de agosto, estando ainda dentro do prazo para a regularização.

 

 

Tópicos: acidente / trânsito

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail





Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia