Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Saúde alerta para risco de contrair leptospirose em enchentes e alagamentos

População deve evitar contato com água contaminada e descartar os alimentos afetados


Por Tribuna

12/01/2022 às 17h32

O grande volume de chuvas nos primeiros dias de janeiro tem causado transtornos, e a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Saúde, alertou para o risco de contaminação pelo contato com as águas contaminadas de enchentes e alagamentos. Conforme a pasta, esse contato pode causar leptospirose, verminoses, doenças diarreicas, febre tifoide, salmonela, hepatite A e E, cólera e tétano.

Dentre as patologias citadas acima, a leptospirose é a predominante, podendo se tornar epidêmica nos ciclos chuvosos, ou seja, contaminando várias pessoas em um curto espaço de tempo. Causada pela exposição à urina de roedores, principalmente de ratos infectados pela bactéria Leptospira, é uma doença adquirida através da pele com lesões, mesmo que não aparentes, ao se ter contato por um longo período de tempo diretamente com a água contaminada. Mesmo não havendo lesões na pele, a pessoa pode ser contaminada através do contato das mucosas, olhos, nariz e boca com água contaminada, além da ingestão desta água e alimentos contaminados.

Após o contágio, a doença pode ficar incubada de um a 30 dias, apresentando manifestação dos sintomas de 7 a 14 dias após a exposição. Segundo o Ministério da Saúde, o risco de letalidade é de 40% nos casos graves.

O sintomas da fase precoce podem incluir febre, dor de cabeça, desânimo, dor muscular, principalmente nas panturrilhas, falta de apetite, náuseas e vômitos, além de diarreia. Em casos de evolução para forma grave, a pele do paciente infectado manifestará a coloração alaranjada muito intensa, a tríade de icterícia, hemorragia e insuficiência renal entre outras complicações.

O conteúdo continua após o anúncio

Nos casos em que este contato não pode ser evitado, a pessoa deve estar atenta, posteriormente, a possíveis sintomas da leptospirose. Responsável pelo setor de zoonoses da Ssúde, José Geraldo de Castro Jr. ressalta a importância da observação após o contato com as águas e lamas de enchentes e a necessidade da limpeza das casas atingidas.

“O nosso primeiro alerta para a população de Juiz de Fora é que ao ter contato com as enxurradas monitore o seu corpo e observe. Em caso de febre, dor no corpo e cabeça procure atendimento médico. Não espere piorar ou agravar. As pessoas que infelizmente tiveram as suas casas invadidas pelas águas, orientamos que assim que possível, faça a limpeza do local utilizando botas ou sapatos fechados e luvas. Para a descontaminação, deverá ser utilizada água sanitária, cloro, inclusive em roupas. Descarte os alimentos que mesmo fechados tiveram contato com a água. Sabemos da dificuldade dessas famílias e o quanto é difícil fazer isso, mas precisamos preservar pelo bem mais precioso, que é a vida.”

Atendimento nas UBS

De acordo com a Secretaria de Saúde, as pessoas que tenham entrado em contato com enxurradas e enchentes e apresentem sintomas como febre, dor no corpo, dor de cabeça, podem se dirigir a umas das 46 Unidades Básicas de Saúde (UBS). Para ajudar no diagnóstico, é fundamental que se relate o contato com as águas contaminadas.

Tópicos: chuva

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia