Tópicos em alta: polícia / crise fiscal / campeonato mineiro

Polícia investiga morte de mulher na Zona Sul como feminicídio

Marta Rodrigues da Paixão, 51 anos, foi executada com tiros na porta de casa em dezembro

Por Tribuna

11/01/2019 às 16h54- Atualizada 11/01/2019 às 17h07

O assassinato de Marta Rodrigues da Paixão, 51 anos, passou a ser investigado como feminicídio. Ela foi executada com tiros na porta de casa no dia 7 de dezembro, no Bairro Cidade Nova, na Zona Sul de Juiz de Fora. Na última terça-feira (8), a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher assumiu o caso, diante dos indícios de que Marta foi morta por razões da condição de sexo feminino. Com isso, o crime passa a ser considerado hediondo, com pena de 12 a 30 anos de prisão.

A delegada Ione Barbosa preferiu não dar detalhes sobre a investigação, que antes estava a cargo da Especializada de Homicídios. O feminicídio pode acontecer no contexto de violência doméstica ou ser caracterizado pelo menosprezo ou discriminação à condição de mulher. “Foi um crime bárbaro”, classificou a policial, acrescentando que a vítima deixou três filhos. Segundo ela, Marta trabalhava durante o dia em casa de família e à noite como costureira. “Ela era muito trabalhadora e foi executada quando saía de casa para o serviço.”

O conteúdo continua após o anúncio

Naquele dia, pouco depois das 6h, a moradora retirou seu carro da garagem, na Rua Maurício Gonçalves Filgueira. Ao estacionar o veículo junto à guia da calçada, possivelmente para fechar o portão, ela foi surpreendida por dois criminosos, os quais já estariam de tocaia aguardando sua saída. Um deles estava armado com revólver e se aproximou da porta da motorista, abrindo fogo. O comparsa aguardou em uma moto para dar fuga.
Os suspeitos são investigados como executores, mas a polícia também apura quem seria o mandante. “É uma investigação complexa, que envolve muitos suspeitos”, avaliou a delegada. Pelo menos seis tiros foram disparados. Familiares da vítima chegaram a escutar gritos de socorro e tentaram socorrê-la, mas ela não resistiu às perfurações no tórax e braço esquerdo.

A Polícia Civil já ouviu parentes da mulher, incluindo os filhos, e realizou diligências no local do crime. O celular de Marta também será periciado.

Tópicos: feminicídio

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia