Eugênio Souza quer posse de bola e agressividade no Tupi

Novo técnico do Tupi é apresentado e reitera filosofia por equipe ofensiva para melhorar o desempenho carijó na Série C

Por Bruno Kaehler

15/05/2018 às 20h08 - Atualizada 15/05/2018 às 20h12

Eugênio foi apresentado na tarde desta terça (15) e já comanda a equipe na partida contra a Luverdense neste sábado no Municipal (Foto: Fernando Priamo)

Posse de bola, organização tática e agressividade. Estes são alguns dos pilares da filosofia de trabalho do novo técnico do Tupi, Eugênio Souza, apresentado na tarde desta terça (15) na sede social do clube, no Centro da cidade. Ainda pouco conhecido pelos torcedores carijós apesar de vasta passagem pelo futebol mineiro, o profissional destacou o que espera de seus comandados.

“Se eu formar a equipe vou querer um time que tenha posse de bola, equilíbrio, só que mais para agressiva com e sem a bola. Sem ela tem que brigar o tempo todo para recuperar. Mas o principal é a posse de bola, e os atletas terem a leitura de jogo. Não posso querer implantar uma situação em um time que não tem essa característica, mas vejo o Tupi com uma equipe técnica, jovem e é onde procuraremos equilibrar”, analisa.

LEIA MAIS:

O conteúdo continua após o anúncio

Eugênio garantiu ainda priorizar naturalmente o lado ofensivo, principal deficiência alvinegra no início de Série C, com apenas dois gols marcados em cinco rodadas. “Gosto de equipes ofensivas. Quando você está organizado para atacar, também estará organizado para defender, e vice-versa. Então o primeiro ponto é estar organizado. Com raras exceções, as equipes que treino fazem muitos gols e sofrem poucos, então vamos buscar esse equilíbrio. Apesar de ter sido zagueiro, sempre priorizo a parte ofensiva. Se pudesse, colocava volante de zagueiro, meia de volante, jogadores de qualidade, mas futebol não é assim”, diz.

Um dos fatores para a escolha do técnico, de acordo com o diretor de futebol do clube, Nicanor Pires, foi o fato de Eugênio já ter trabalhado com o próprio dirigente, no Nacional de Nova Serrana, além do auxiliar, Gustavo Brancão, e de diversos atletas. Para o técnico, o conhecimento “ajuda muito até para auxiliar outros atletas”. “Já trabalhei com o Wellington, o Marcel, Leo Salino, Magalhães, Afonso, João Willian, Kalu. E eles sabem do meu caráter, o que ajuda porque eles fazem a minha propaganda no grupo, podem falar que tem um professor gente boa, trabalhador e que gosta de vencer. Se o atleta é disciplinado e tiver ambição positiva não terá nenhum tipo de problema comigo”, garante.

Em 12 anos como técnico, Eugênio conquistou sete acessos e cinco títulos, sendo o mais importante em 2014, pelo Tombense, de campeão da Série D. Em 2018 ele passou por Ipatinga e Nacional de Muriaé, ambos no Módulo II, em campanhas sem resultados. Em seu primeiro desafio pelo Tupi, o comandante terá o Luverdense como adversário neste domingo (20), às 16h, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.

Tópicos:

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail





Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia