Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / lockdown / vacina / polícia / obituário

Trabalhadores retornam à fábrica da Mercedes em JF

Produção foi interrompida nos últimos dez dias em função do agravamento da pandemia da Covid-19 no país


Por Gracielle Nocelli

05/04/2021 às 13h13- Atualizada 05/04/2021 às 18h29

Após dez dias de recesso, os trabalhadores da Mercedes-Benz retomaram as atividades em Juiz de Fora nesta segunda-feira (5). A produção foi paralisada após reunião entre a direção da empresa e representantes do Sindicato dos Metalúrgicos, quando foi decidida a antecipação de feriados e o uso de bancos de horas para que os profissionais ficassem em casa no momento de agravamento da pandemia da Covid-19.

O retorno aconteceu com parte do quadro de 850 funcionários. De acordo com a assessoria da montadora, uma parcela de profissionais que atua na linha de produção recebeu férias coletivas. “Assim, teremos um grupo de produção menor mantendo os protocolos de distanciamento, mas continuaremos a atender os nossos clientes”, explicou em nota. As equipes do setor administrativo seguem em home office.

O conteúdo continua após o anúncio

Ainda de acordo com a empresa, segue vigente a adoção de protocolos sanitários de segurança na rotina dos trabalhadores. “Também temos feito diversas campanhas de orientação para nossos funcionários e familiares sobre todos os cuidados necessários contra a Covid-19.”

A paralisação ocorrida entre os dias 26 de março e 4 de abril correspondeu à antecipação dos feriados de Tiradentes (21/04), Corpus Christi (03/06) e Independência (07/09), além de dois dias de folga computados do banco de horas. A mesma medida foi realizada na unidade fabril de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, que também retomou as atividades nesta segunda.

Nova reunião

Representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Juiz de Fora acompanharam o retorno dos trabalhadores à fábrica, e uma nova reunião com a direção da empresa deve ser agendada. “Seguiu tudo dentro da normalidade, mas vamos continuar em contato para saber se haverá novas medidas de segurança a serem implantadas”, adiantou o presidente João César da Silva.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia