Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Apesar de autorização, volta de cinemas é incerta em JF

Permissão foi informada nesta terça com a mudança para o programa “JF Viva”


Por Mariana Floriano, sob supervisão de Wendell Guiducci

21/09/2021 às 18h10- Atualizada 22/09/2021 às 10h30

Fechados desde março de 2020, salas de cinema e museus de Juiz de Fora já têm permissão para voltar a funcionar. Junto com o anúncio da mudança do programa “Juiz de Fora pela Vida” para “JF Viva”, nesta terça-feira (21), veio a informação de que, em breve, o juiz-forano voltará a frequentar eventos “de qualquer natureza”. No entanto, somente aqueles que estiverem com a vacinação em dia poderão comparecer aos locais, respeitando o distanciamento mínimo, com 60% da capacidade, e horários de funcionamento que ainda estão limitados. Para comprovar que ao menos uma dose da vacina já foi recebida, será necessária a apresentação do cartão de vacinação ou do aplicativo Conecte SUS, mais um documento com foto.

O anúncio pegou de surpresa os cinemas de Juiz de Fora. Segundo a assessoria do cinema do Shopping Santa Cruz, o retorno ainda deverá ser estudado, visto que demandará a contratação de funcionários que haviam sido dispensados, além de ser necessário buscar o posicionamento do shopping, para saber se estão de acordo.

A situação é a mesma das salas de cinema que ficam nos shoppings Alameda e Jardim Norte. Conforme a assessoria do Cinemais, é preciso fazer uma avaliação entre as normas estabelecidas pela Prefeitura e as demandas necessárias ao cinema para determinar se não haverá prejuízo com o retorno. Segundo a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), em cinemas, teatros e locais de encenação, será proibido o uso de óculos 3D. Já a alimentação está liberada. A assessoria do Cinemais ainda afirma que, por conta dos meses parados, retornar com a capacidade muito reduzida e sem a possibilidade do funcionamento da bomboniere poderia gerar um gasto que não compensaria o retorno. No entanto, o posicionamento oficial ainda não foi divulgado, de acordo com a assessoria. Apenas depois de informações mais detalhadas, que deverão ser anunciadas pela PJF, é que o cinema se manifestará. Já a Rede UCI, responsável pelo cinema do Shopping Independência, afirmou em nota que irá aguardar a publicação do decreto da Prefeitura autorizando a reabertura dos cinemas na cidade para estudá-lo e assim planejar a retomada com calma. Porém, ainda não há data prevista para a reabertura do complexo. A nota ainda informa que, nos 18 meses em que o cinema ficou de portas fechadas, cerca de 474 mil ingressos deixaram de ser vendidos.

O conteúdo continua após o anúncio

A Tribuna questionou a Secretaria de Sustentabilidade em Meio Ambiente e Atividades Urbanas (Sesmaur) sobre a inclusão de casas noturnas, show e casas de festas na liberação de “eventos de qualquer natureza”, porém a pasta informou que será necessário a publicação do decreto oficial por parte da PJF para que sejam esclarecidas tais informações.

Museus estudam retorno gradual

Ainda não há data de reabertura divulgada para os museus administrados pela UFJF. A reportagem apurou que está sendo pensado mais urgentemente o retorno gradual do Museu de Arte Murilo Mendes e do Cine-Theatro Central, mas isso depende de autorização do Comitê de Monitoramento e Orientação de Condutas sobre o Novo Coronavírus (SarsCov-2) da UFJF.

De acordo com o JF Viva, museus, galerias, salas de exposições e similares têm limitação de 60% e 70% da capacidade do espaço em ambientes fechados e abertos, respectivamente. Todos esses estabelecimentos seguirão a obrigatoriedade da vacinação em dia para receber o público. Para bibliotecas e locais de pesquisa, o limite é de 70% da capacidade de espaço.

Tópicos: coronavírus / vacina

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia