Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

UFJF retoma atividades presenciais na graduação dia 4 de novembro

A partir do dia 18 de outubro, início do segundo semestre letivo de 2021, já haverá presença de servidores para a organização do retorno dos estudantes


Por Carolina Leonel

14/09/2021 às 16h02- Atualizada 14/09/2021 às 18h41

O Conselho Superior (Consu) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) votou e aprovou, na manhã desta terça-feira (14), o retorno gradual das atividades presenciais e a autorização para o segundo semestre suplementar nos cursos de graduação da instituição. Conforme a resolução aprovada, o retorno presencial das atividades de ensino e aprendizagem ocorrerá de forma gradativa a partir de 18 de outubro. O Consu decidiu que o início do segundo semestre de 2021 será realizado com a oferta de disciplinas teóricas em formato remoto e com atividades destinadas à capacitação dos discentes, docentes, TAEs e terceirizados, para a organização do retorno presencial, a ser realizado nas duas primeiras semanas do calendário. As atividades presenciais das disciplinas práticas, teórico-práticas e dos estágios obrigatórios têm início previsto para 4 de novembro. Conforme a UFJF, também está garantida a aplicação dos protocolos de biossegurança e o distanciamento físico e espacial recomendado entre docentes, técnicos-administrativos em educação, servidores terceirizados e discentes.

Dessa forma, segundo a universidade, a partir do segundo semestre de 2021 poderão ser oferecidas, em formato presencial, disciplinas práticas, teórico-práticas e os estágios obrigatórios. As disciplinas teóricas devem continuar a ser ofertadas em formato remoto. A decisão sobre quais disciplinas serão oferecidas de forma presencial caberá aos conselhos de unidade. Para isso, cada unidade acadêmica deverá organizar a oferta de atividades presenciais por seus cursos, considerando suas demandas acadêmicas, sua infraestrutura e os protocolos de Biossegurança da UFJF.

Ainda de acordo com a resolução, o uso dos espaços físicos das unidades acadêmicas poderá ser interrompido diante de uma situação de agravamento do cenário epidemiológico. Nesse caso, a decisão caberá à direção da faculdade ou do instituto, a partir de indicação da equipe de monitoramento do aplicativo “Busco Saúde”. Por essa razão, todos os alunos, professores, técnicos-administrativos e terceirizados envolvidos na oferta de atividades presenciais devem acessar, para cadastro, o sistema “Busco Saúde” – através do site – e realizar diariamente o seu automonitoramento de sintomas da Covid-19.

Semestre suplementar

O Consu aprovou também a oferta de um segundo semestre suplementar, com duração de dez semanas letivas, para os cursos de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Medicina, Odontologia, Rádio, TV e Internet do Campus de Juiz de Fora e os cursos de Educação Física, Farmácia, Fisioterapia, Medicina, Nutrição e Odontologia do Campus de Governador Valadares. Foi aprovada ainda autorização excepcional para oferta do semestre suplementar no curso de Jornalismo. O calendário para o início das atividades no semestre suplementar ainda será definido pelo Conselho de Graduação (Congrad). Outras medidas de planejamento e organização para a retomada gradual das atividades presenciais ainda serão definidas pelo Consu.

O conteúdo continua após o anúncio

Sintufejuf convoca assembleia geral para esta quinta

O Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais de Juiz de Fora (Sintufejuf), por meio de nota, destacou que a garantia do retorno das atividades presenciais após a imunização completa de todos os trabalhadores da educação foi muito importante, demanda, inclusive, reivindicada desde maio pelos TAEs. Por outro lado, a entidade afirmou que as preocupações agora se concentram na distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados, na garantia de transporte e nas adequações dos espaços de trabalho prevendo distanciamento mínimo e ventilação adequada.

O Sintufejuf também informou que reivindica no Consu que a instituição considere os casos de trabalhadores com filhos em idade escolar. Isso porque a rede municipal voltará, a partir de outubro, com aulas em sistema híbrido e voluntário, circunstância que manterá crianças em casa em alguns dias da semana. “Levamos ao conselho também o pedido que as convocações de retorno ao trabalho presencial sejam feitas de forma individualizada e por meio de canais institucionais de comunicação para que cada caso seja avaliado. Todos estes pontos ainda serão objeto de avaliação e decisão do Consu. Hoje foi definido apenas o conteúdo das regras acadêmicas. Neste sentido convocamos uma assembleia para deliberação do posicionamento da representação do Sintufejuf neste debate administrativo”, pontua o texto. A assembleia geral acontecerá nesta quinta-feira (16), às 17h, por meio de videoconferência em plataforma disponibilizada pelo sindicato.

DCE se posiciona contra retorno

A gestão Todo Mundo no DCE do Diretório Central dos Estudantes, que representa o corpo estudantil da UFJF, se posicionou contra a minuta que estabelece o retorno gradual das atividades presenciais da UFJF para o segundo semestre letivo de 2021. “Somos contra esse retorno por conta da falta do atendimento a algumas das necessidades básicas para o retorno presencial das e dos estudantes. Com o semestre começando no dia 18 de outubro, não teremos todas e todos estudantes, funcionários e professores da UFJF com a vacinação completa contra a Covid-19”, pontuou em nota pública divulgada nesta terça-feira.

Na avaliação do diretório, além do curto prazo para o início do retorno gradual, a notificação da retomada foi feita muito próxima à data prevista para a volta das atividades, o que “não permitiu uma maior mobilização e debate aprofundado da comunidade acadêmica sobre o assunto e todas as questões envolvidas”. O DCE defende que o retorno das atividades presenciais, ainda que gradual, ocorra após a completa imunização de toda a comunidade acadêmica. Para o diretório, “essa retomada gradativa causaria um movimento muito grande da comunidade acadêmica, aumentando a chance de descumprimento dos protocolos sanitários e disseminação do vírus”.

Para o DCE, neste momento, a aplicação do segundo semestre suplementar, também aprovado pelo Consu, “é mais do que o suficiente” para atender as demandas acadêmicas urgentes dos estudantes. “Por mais que a situação da pandemia nos municípios de Juiz de Fora e Governador Valadares pareçam favoráveis o suficiente para ter a liberação de suas respectivas prefeituras para esse retorno e mesmo com a implementação dos protocolos de biossegurança rigorosamente estabelecidos pela Comissão de Infraestrutura e Saúde, as demais atividades acadêmicas podem e devem esperar que todos os seus envolvidos já tenham sido completamente imunizados.”

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia