Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Hidroxicloroquina não mostra benefício contra Covid, diz estudo

Pesquisa foi realizada com 368 pacientes em hospitais de veteranos dos EUA


Por Tribuna

21/04/2020 às 15h17- Atualizada 21/04/2020 às 15h21

Uma pesquisa com hidroxicloroquina – medicamento usado para malária e citado frequentemente pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como um possível tratamento para coronavírus – não mostrou benefícios desse remédio contra a Covid-19. A conclusão ocorreu em uma pesquisa abrangente em hospitais de veteranos do país, com 368 pacientes.

Houve mais mortes entre aqueles que tomaram a hidroxicloroquina do que entre os que receberam tratamento padrão para a doença, de acordo com os pesquisadores envolvidos na iniciativa. O estudo em âmbito nacional não foi um experimento rigoroso, mas é o mais abrangente até agora a analisar o medicamento, usado sozinho ou acompanhado do antibiótico azitromicina, contra a Covid-19.

O conteúdo continua após o anúncio

Cerca de 28% dos pacientes que receberam hidroxicloroquina mais o tratamento normal morreram, enquanto as mortes foram de 11% entre aqueles que apenas receberam o tratamento usual. Além disso, cerca de 22% daqueles que receberam hidroxicloroquina e também azitromicina morreram, mas a diferença entre esse grupo e aquele que recebeu tratamento padrão não foi considerada grande o suficiente para descartar outros fatores que possam ter influenciado.

A pesquisa foi postada on-line pelos pesquisadores e submetida para publicação no ao “New England Journal of Medicine”, mas não foi até agora revisado por outros cientistas. O estudo foi financiado por bolsas do Instituto Nacional de Saúde e da Universidade da Virgínia.

Fonte: Associated Press

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia