Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Morre mais uma vítima com suspeita da síndrome nefroneural

Óbito ocorreu em Belo Horizonte. Vítima é um homem de 89 anos


Por Tribuna

16/01/2020 às 10h21

Faleceu nesta quinta-feira (16) mais uma vítima da síndrome nefroneural. A Informação foi repassada pela Polícia Civil de Minas Gerais, que apura uma possível intoxicação da substância dietilenoglicol, encontrada em lotes da Cerveja Belorizontina, da Cervejaria Backer, de Belo Horizonte. A vítima é um idoso de 89 anos. Com este morte, sobe para três as vítimas fatais com suspeita síndrome já confirmadas.

O conteúdo continua após o anúncio

A Polícia Civil informou que o corpo do idoso deu entrada no Instituto Médico Legal (IML) Doutor André Roquette, na capital mineira, às 5h25 desta quinta e está passando pela necropsia. O homem é de Belo Horizonte e estava internado no Hospital Mater Dei, região Centro-Sul da capital. Até o momento, a Polícia Civil ” trata todos os casos como suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol até que o laudo fique concluído. O prazo regular para finalização do laudo é 30 dias”, diz nota da corporação.

Na quarta-feira, também no Mater Dei, veio a óbito um homem internado com os sintomas da síndrome. O primeiro morto pela doença, morador de Ubá, faleceu na Santa Casa de Juiz de Fora no dia 7 de janeiro. Há ainda uma quarta morte em apuração. O caso ainda não confirmado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), é de uma mulher, do município de Pompéu, no Centro-Oeste de Minas Gerais, que morreu no dia 28 de dezembro. A informação deste óbito foi divulgada pela Secretaria de Saúde do município.

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia