Tópicos em alta: cartas a jf / onça-pintada / dengue / polícia

Cartas a JF: Cidade para construir raízes e prosperar

Por Tribuna

17/05/2019 às 21h02

Juiz de Fora é nossa cidade

Nasci em 1961, num sítio próximo a Igrejinha, na Zona Rural. Sou o mais novo e o 11° filho da Dona Lydia e do “Seu” Severino de Rezende. Comecei a estudar aos 6 anos na Escola Rural Padre Wilson, e fiz o Ginásio no Polivalente de Benfica. No último ano do ginásio, fiz cursinho para o CTU, no IAC na Av. Rio Branco, onde hoje é o Banco Itaú, época em que conheci o Vinícius, com quem comecei a Rezato. Já estávamos no 3° ano do CTU, após um estágio com Valmir na S. Caetano. Neste ano, também fizemos o pré-vestibular de Engenharia no CAVE. Êta ano pesado!

Na renomada UFJF, cursamos Engenharia, até 1983, oportunidade em que conhecemos o Prof. Abramo, nosso mestre. Neste período, a Rezato adquiria conhecimento e fazia obras para outros empreendedores (Sr. Lawall e Omar Ferreira) preparando-se para fazer parte da história de nossa querida Juiz de Fora.

Encontramos aqui pessoas determinadas, que aproveitaram as oportunidades e vieram somar na empresa, como a Selma, a Fernanda, o José Alair e o Dario, juntamente com Júlio, Aparecido, Januário e nossos jovens. São pessoas que nos ajudam a formar uma equipe guerreira, coesa, harmônica e estável, que fazem da força do trabalho sua paixão, colaborando para erguer prédios de qualidade, sempre em Juiz de Fora.

LEIA MAIS:

Muito além de prédios, esta é, para mim, a cidade de construir felicidade. É onde conheci a minha esposa Heloisa e formamos uma família com quatro filhas: Amanda, Laiz, Camila, casada com Rodrigo, e Priscila, casada com Ellon, que são os pais da nossa neta Maria, de 4 meses. Vivendo neste lugar abençoado, espero que possam, como eu, construir aqui suas histórias felizes. É onde podemos construir amizades e histórias, como os títulos conquistados nas quadras e campos de várzea, comemorados com churrascos e cervejas. Lugar de encontros nos ótimos restaurantes e nas várias outras opções culturais.

O conteúdo continua após o anúncio

Sou filho da Juiz de Fora que, para mim, é cidade de oportunidades. Sonho que assim possa ser para muito mais pessoas, para gente daqui, gente de fora, gente que vai e volta. Uma cidade que precisa ser bem cuidada para termos muitas histórias felizes.

Wilson Rezato
Empresário

————————————————————————————————————————————————————-

Participe:

Quer participar do projeto? Basta escrever sua cartinha no formato descrito e enviar para [email protected] ou para o WhatsApp (32) 99975-2627 – porque as cartas, como outras formas de comunicação e linguagens, também foram transformadas pela tecnologia.(Ah! Se quiser mandar um vídeo de até 30 segundos, em formato horizontal, se declarando a JF, será um sucesso, fique à vontade!).

 

Tópicos: cartas a jf

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia