Tópicos em alta: matheus goldoni / CPI dos ônibus / polícia / bolsonaro / reforma da previdência

Jardim Botânico da UFJF volta a funcionar para visitação no dia 5 de junho

Espaço estava fechado para visitação desde 26 de abril, um dia depois de onça-pintada aparecer pela primeira vez; novos passeios vão abordar educação ambiental sobre o felino

Por Carolina Leonel e Gabriel Silva*

23/05/2019 às 16h06- Atualizada 23/05/2019 às 21h20

O Jardim Botânico da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) divulgou a data de sua reabertura na manhã desta quinta-feira (23), 11 dias após a captura da onça-pintada que apareceu no local. O espaço volta a receber visitações do público em 5 de junho, data em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, em horário normal: de terça a sexta e aos domingos, das 8h às 17h, com entrada de visitantes até 16h30. As novidades, segundo o diretor do Jardim, Gustavo Soldati, serão as abordagens de educação ambiental sobre onças-pintadas, que serão realizadas pelos monitores que guiam os passeios. De acordo com nota divulgada pela universidade, os colégios que tiveram visitas canceladas durante o período de fechamento estão sendo contatados para a realização de reagendamento das visitas. Não há, no momento, vagas para agendamento de visitas de outras escolas.

A visitação é gratuita, limitada a cem visitantes por vez. Para garantir a segurança de cada pessoa, a direção do Jardim recomenda atenção durante a visitação, assim como uso de repelente e de calçados adequados para caminhada. É permitido permanecer pelo tempo desejado, realizar piqueniques, caminhadas e corridas no Jardim.

Não há estacionamento, por esse motivo a sugestão é chegar até o local por meio de transporte público. Os ônibus com parada próxima à entrada do Jardim são as linhas Mundo Novo/Santa Terezinha, de números 111 e 112.

Fechamento temporário por causa da onça

Até a reabertura, serão 41 dias de fechamento do Jardim Botânico, que protagonizou um dos maiores acontecimentos na cidade: o aparecimento de uma onça-pintada, vista pela primeira vez por seguranças do local, na noite do dia 25 de abril. Em seguida, o animal foi avistado em outros pontos da cidade, até ser capturado no próprio Jardim Botânico, na noite do último dia 12.

No dia seguinte à primeira aparição, a UFJF convocou uma coletiva para comunicar a imprensa e a população a respeito da presença do felino no local, e sobre as medidas que seriam tomadas para garantir a segurança do animal e da comunidade do entorno do Jardim, assim como a decisão de fechar o local temporariamente. Uma das medidas tomadas pela universidade foi o contato com o Instituto Estadual de Florestas (IEF), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Prefeitura de Juiz de Fora e a Polícia Ambiental, para que uma avaliação a respeito das ações seguintes fossem avaliadas.

O conteúdo continua após o anúncio

Na semana seguinte, no dia 2 de maio, a intenção de transferir o felino foi confirmada, conforme nota técnica emitida pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Cenap/ICMBio). A partir de então, uma equipe do Cenap veio a Juiz de Fora e trabalhou para a captura e condução do animal.Logo em seguida, o animal foi avistado em alguns outros pontos da cidade até ser capturado no próprio Jardim Botânico na noite do último dia 12.

Aparições e captura

Desde sua primeira aparição até a captura, a onça-pintada foi vista por diversas vezes nas imediações da Mata do Krambeck. Um dos primeiros registros, feito fora do Jardim, foi o de um recepcionista de um hotel na Avenida Brasil, na altura do Bairro São Dimas, próximo ao terminal rodoviário. Depois, o felino foi, por duas vezes, avistado no estacionamento da Igreja Batista Resplandecente Estrela da Manhã, localizada no Bairro Santa Terezinha. O animal também foi visto às margens do Rio Paraibuna, na altura do Bairro Industrial, Zona Norte.

As aparições surpreenderam e encantaram a população juiz-forana, principalmente aqueles que puderam ver e registrar a presença do felino. Quem teve essa oportunidade especulava justificativas para a presença do animal no ambiente urbano. “A minha percepção, por estar acostumado a viver na roça, é que ela estava caçando. Como ali tem muita capivara, ela deve ter dado o bote errado e caiu dentro do rio. Com isso, a correnteza a trouxe para o lado de cá, e como o mato da margem é muito alto, ela achou que estava no habitat dela e se deparou com o asfalto. Assim como o ser humano, ela é muito curiosa, atravessou e foi ver o que era aquilo”, relatou à Tribuna o recepcionista Nielson Luiz Dias, 40, que trabalhava no hotel durante a aparição do animal.

Após ser protagonista de estórias, memes e das mais variadas conversas – desde a de bar até a do ambiente escolar – a onça foi, por fim, capturada na noite de um domingo, dia 12 de maio, às 20h27. Com a captura, foi possível confirmar que o animal é macho, tem cerca de 4 anos de idade e está em período reprodutivo. O felino pesa 51,6 quilos e possui 1,81 metros de comprimento.

Após a captura, a onça foi encaminhada para uma área de proteção ambiental, onde existem felinos fêmeas, para que haja possibilidade de cruzamento da espécie e, portanto, manutenção da vida do animal. De acordo com a UFJF, a onça está sendo monitorada e, em breve, serão divulgadas informações sobre o comportamento do felino em seu novo habitat.

* Estagiário sob supervisão do editor Eduardo Valente

Tópicos: onça-pintada

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia