Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

Como melhorar a memória e ir melhor nas provas

Você sabia que é possível melhorar muito a capacidade de memória de uma pessoa com hábitos e exercícios simples? Confira 10 dicas que irão ajudá-lo a melhorar o seu processo de memorização.

Por Louise Vianello

29/01/2018 às 12h32

A memória é uma das funções mais complexas e importantes do cérebro humano. Quando seu rendimento cai surgem dificuldades no trabalho, na escola e na vida social. O ritmo de vida atual é propício para o surgimento desse sintoma em pessoas que estudam grandes volumes de conteúdo, como para o vestibular, por exemplo.

Dificuldade de memória, mesmo entre pessoas jovens, é uma queixa muito comum (cerca de 40% da população adulta). Na maioria das vezes essa dificuldade não é causada por doenças cerebrais específicas e é possível melhorar muito a capacidade de memória de uma pessoa com hábitos e exercícios simples. 
A maioria dos vestibulares atualmente exigem cada vez menos “decoreba” e mais compreensão de contextos interdisciplinares e gerais. Mas de toda forma, alguns conteúdos, fórmulas e expressões, têm de ser lembrados pelo aluno para que seja possível realizar ligações de um conteúdo com o outro.

Separamos 10 dicas que irão ajudá-lo a  melhorar sua capacidade de memorização. Confira!

Tenha um ambiente adequado

É muito importante trabalhar e estudar em ambientes apropriados, silenciosos, iluminados e organizados. Assim o estímulo que interessa se destaca e a memorização é facilitada.

Faça uma coisa de cada vez

Fazemos várias coisas ao mesmo tempo. Pensamos em diversos problemas e deixamos passar os dados que seriam relevantes. Identifique as prioridades do momento, entre para resolver aquele problema, se desligue do resto. Seguindo essa recomendação você logo perceberá que os episódios de esquecimentos serão cada vez mais raros.

Esteja bem descansado

O bom funcionamento cerebral depende de descanso. Procure dormir ao menos 8 horas ininterruptas de sono por noite, com qualidade. Tirar férias de tempos em tempos, praticar atividades de lazer. Sem isso o cansaço cerebral te levará aos lapsos de memória.

Tenha uma alimentação saudável

A alimentação influencia na capacidade de memorização. Prefira alimentos de fácil digestão, fracionados durante o dia e em quantidade moderada. Refeição pesada e quantidade exagerada desloca o fluxo sanguíneo para os intestinos e o cérebro fica mais lento e preguiçoso. Para ajudar ainda mais, beba bastante água.

 

Trate sintomas de depressão e ansiedade

O conteúdo continua após o anúncio

A depressão lentifica os processos cerebrais, o esquecimento pode ser um sintoma da depressão. A mesma coisa ocorre com a ansiedade. A pessoa muito ansiosa está sempre com uma pressão antecipatória, sofre antes da hora, preocupa-se antes da hora e se esquece de viver o momento. A ansiedade leva diretamente a problemas de atenção e concentração.

Exercite o cérebro com frequência

Saia da zona de conforto. Coloque seu cérebro para realizar coisas novas. Faça coisas rotineiras de um jeito diferente, mude os caminhos, a mão que você come e escova os dentes, troque o mouse de lado. Aprenda outra língua, um instrumento, um novo esporte. Enfim,  seja criativo e exercite seu cérebro como se ele fosse um músculo. Um cérebro treinado é muito mais confiável.

Evite o consumo de álcool cigarro

O álcool é um inimigo da memória. Você passa do ponto e já não fixa nada. A longo prazo o álcool pode levar à atrofia cerebral (redução do tamanho do cérebro) e a quadros graves de esquecimentos. O tabagismo é também um vilão, favorece isquemias cerebrais, mesmo que pequenas e imperceptíveis que com o passar dos anos pode acarretar problemas cognitivos.

Clique e encontre a bolsa de estudos ideal pra você

Reviva boas lembranças

Memórias ligadas a emoção são mais facilmente fixadas. As emoções positivas têm prioridade sobre emoções negativas. Um fenômeno conhecido como memória seletiva. Viaje, encontre os amigos, reúna a família, viva com intensidade e otimismo, suas memórias serão mais vivas e resistentes. Recorde sempre das boas coisas que viveu, reveja álbuns de fotografia, vídeos antigos e remonte os momentos na cabeça. Quanto mais vezes algo é lembrado, mais firme fica a lembrança. Com o tempo seu cérebro se empenhará cada vez mais em reter as experiências de vida.

Descubra o seu tipo de memória

Algumas pessoas têm uma memória mais fotográfica, se for seu caso, na hora do estudo, abuse dos gráficos, imagens e desenhos. Tente também prestar atenção na lousa do professor e nas imagens do seu livro didático. Também é possível que sua memória esteja mais ligada à audição. Se for assim, fique muito atento à fala do professor e peça ajuda para um amigo para debater a matéria com ele. Descubra qual método funciona mais para você e invista nele.

Busque fazer associações contínuas

Tente fazer links entre alguma matéria e um fato mais inusitado ou que te interesse mais nela. Fica mais fácil lembrar do contexto geral da Guerra Fria se, por exemplo, você conseguir se lembrar que os Estados Unidos e a União Soviética jamais chegaram a atirar um contra o outro. É um fato que chama a atenção (uma guerra sem confronto direto!) e que pode te ajudar a lembrar de muito mais coisa (o confronto esteve em outros países, de maneira indireta etc).

Não tem segredo, muitos professores defendem que a memória é como um exercício qualquer: quanto mais você praticar, melhor ela fica. Por isso, siga essas dicas e reveja os conteúdos em casa com frequência e não só na véspera da prova.



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia