Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / chuva / blogs e colunas / obituário / polícia

Aloizio Penido é mais um a manter neutralidade no 2º turno em JF

O pastor foi o sexto candidato à Prefeitura mais bem votado em primeiro turno, com 2.478 votos (0,95%)

Por Gabriel Ferreira Borges

19/11/2020 às 20h11- Atualizada 19/11/2020 às 20h13

O pastor Aloizio Penido foi o primeiro candidato próprio do PTC à disputa pela PJF (Foto: Divulgação)

Após o engenheiro Eduardo Lucas (DC) e a deputada estadual Sheila Oliveira (PSL), o pastor Aloizio Penido (PTC) foi, nesta quinta-feira (19), mais um dentre os nove candidatos à Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) derrotados a declarar neutralidade neste segundo turno. Em nota encaminhada à Tribuna, Aloizio confirmou que, “até o momento”, opta por não apoiar nem a candidata Margarida Salomão (PT), nem o candidato Wilson Rezato (PSB) na empreitada para a sucessão do prefeito Antônio Almas (PSDB).

LEIA MAIS: PSOL e PCdoB formalizam apoio a Margarida Salomão no 2º turno

O conteúdo continua após o anúncio

Conforme Aloizio, “em virtude de ter defendido uma bandeira conservadora que é aliada à economia liberal”, decidiu, portanto, manter a neutralidade na etapa plebiscitária das eleições municipais. O pastor foi o sexto candidato mais bem votado em primeiro turno, com 2.478 votos, isto é, 0,95% dos votos válidos do colégio eleitoral juiz-forano. Além de Margarida e Wilson, ficaram à frente de Aloizio a delegada licenciada da Polícia Civil Ione Barbosa (Republicanos), a deputada Sheila Oliveira e o engenheiro Eduardo Lucas.

Aloizio Penido foi o primeiro candidato próprio do PTC à PJF. Em 2004, 2008 e 2012, a sigla esteve nas coligações encabeçadas pelo ex-prefeito Custódio Mattos – hoje, filiado ao Cidadania, mas, à época, ao PSDB -, e, em 2016, naquela liderada pelo atual deputado federal Lafayette Andrada (Republicanos). Na ocasião, Lafayette disputou o Executivo juiz-forano pelo PSD.

Tópicos: eleições 2020



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia