Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

Técnica em enfermagem é a primeira vacinada em Minas Gerais

Maria do Bonsucesso Pereira, de 57 anos, recebeu a dose na noite desta segunda, logo após a chegada do imunizante ao Aeroporto de Confins

Por Marcos Araújo

18/01/2021 às 21h39- Atualizada 18/01/2021 às 22h35

Cecé foi a primeira a receber a imunização em Minas (Foto: Alexandre Rezende/Nitro)

A técnica em enfermagem Maria do Bonsucesso Pereira, de 57 anos, foi a primeira mineira a ser vacinada contra a Covid-19. Ela recebeu a primeira dose da vacina Coronavac por volta de 21h30 desta segunda-feira (18). O avião da Azul, que trouxe o imunizante de Guarulhos (SP), pousou em Confins, no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, às 19h57. Maria do Bonsucesso, conhecida como Cecé, atua há dez anos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte. Junto com Maria do Bonsucesso, foram vacinadas outras quatro pessoas: mais um técnico em enfermagem, uma enfermeira, um fisioterapeuta e uma médica.

“Durante dez anos eu venho trabalhando no Hospital Eduardo de Menezes, onde eu aprendi muito. Eu aprendi que o ser humano deve ser tratado com carinho. Este último ano para mim foi diferenciado. Foi um ano em que a gente lutou mais, que a gente vestiu uma roupa quente e trabalhou suando sem sequer tomar um copo d’água. Dias de perder paciente sem saber o que fazer. Esse vírus que chegou até nós, tenho na minha mente que é devastador e nos trouxe muita dor. Então foi um ano em que aprendi muito”, contou.

Segundo Maria do Bonsucesso, ao longo dos anos de atuação no hospital, ela vem trabalhando com foco na humanização do atendimento. “Eu arrumava os leitos e, na minha mente, eu não iria receber um doente, mas um cliente, aquele para quem eu iria prestar o meu serviço, que tinha que ser diferenciado, com camas bem arrumadas. Na minha mente, eu queria fazer o meu melhor. Agora, chega a vacina, que é nossa luz no fim do túnel”, afirmou, emocionada, apelando para a população não deixar de se vacinar e continuar usando máscara, álcool em gel e o hábito de lavar as mãos. “Isso ainda vai viver com a gente um pouco, mas vai passar”, finalizou, com os olhos cheios de lágrimas e sob aplausos.

Além de Cecé, receberam a primeira dose: o fisioterapeuta Moisés Alves Senra, 39; a enfermeira Adileia Pereira de Jesus Cardoso, 52; a médica Teresa Gamarano Barros, 37; e o técnico em enfermagem Thiago Libério, 39.

Durante ato simbólico de início da vacinação contra a Covid-19 no estado, o governador de Minas, Romeu Zema (Novo), que acompanhou a aplicação das doses de perto, ressaltou que Minas recebeu 577 mil doses, que serão disponibilizadas, prioritariamente, para profissionais de saúde, para idosos institucionalizados e para a população indígena. “Amanhã cedo (nesta terça), contando com o apoio das nossas forças de segurança, essas vacinas estarão sendo distribuídas para as regionais de saúde e pouco tempo depois já estarão nas cidades. Lembrando que cada prefeitura será responsável por encaminhar seu veículo para essas regionais”, disse, acrescentando que, nesta terça, todo o estado já terá a vacina. Mesmo assim, o governador frisou que a luta contra o coronavírus continua.

O conteúdo continua após o anúncio

Maior vacinação da história

A expectativa é de que, em 24 horas após a chegada do primeiro lote de vacinas, todas as 28 superintendências regionais de Saúde tenham recebido o imunizante (Foto: Alexandre Rezende/Nitro)

Conforme o Governo de Minas, o Estado está preparado para a maior operação de vacinação de sua história. “Já montamos, junto com as Forças de Segurança do Estado, principalmente a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, a distribuição das vacinas, que será a maior da história do estado. Vamos utilizar todas as aeronaves, aviões e helicópteros para que as 28 regionais sejam abastecidas com a maior agilidade possível”, disse o governador Romeu Zema (Novo), nesta segunda.

A expectativa é de que, em 24 horas após a chegada do primeiro lote de vacinas, todas as 28 superintendências regionais de Saúde tenham recebido o imunizante. Caberá aos 853 municípios buscar as doses nessas unidades regionais.

Está prevista a destinação de 577 mil doses para Minas. Como são duas doses por pessoas, seriam cerca de 280 mil imunizados. De forma antecipada, Minas garantiu a compra de 50 milhões de seringas agulhadas, além de 617 refrigeradores. Mais de 21 milhões de seringas agulhadas já chegaram ao estado. Decreto publicado neste sábado (16) também estabelece que os aviões do estado serão usados prioritariamente para a logística de vacinação e insumos.

LEIA MAIS: PJF estima receber 15 mil doses da Coronavac na primeira fase de vacinação

Grupo prioritário

Seguindo o Plano Nacional de Imunização (PNI), integram o primeiro grupo prioritário profissionais de saúde que atuam diretamente no combate ao coronavírus, idosos residentes em asilos e indígenas residentes em aldeias. A expectativa é de que todo o grupo prioritário seja vacinado até o meio deste ano, o que significará uma redução elevada nos casos graves por conta do coronavírus.

Os públicos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para vacinação nesta primeira fase são: equipe de vacinação, equipe de Instituições de Longa Permanência e trabalhadores da Saúde envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos suspeitos e confirmados de Covid-19.

Também estão definidos com públicos prioritários as pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência, pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência, residentes em Residências Inclusivas e população indígena vivendo em terras indígenas.

Pontos de vacinação

Conforme o Governo de Minas, as salas de vacinas da Atenção Primária dos Municípios estão sendo orientadas há meses para identificar equipamentos de saúde, asilos e tribos indígenas. Assim, os municípios já sabem onde farão a vacinação em pontos externos e onde farão nas instituições próprias, como já ocorre em outras campanhas de imunização.

Tópicos: coronavírus



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia