Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / chuva / blogs e colunas / obituário / polícia

Souza Gomes Imóveis adota a assistente virtual Beta

Personagem chega para interagir com clientes da Souza Gomes Imóveis, marcando os 40 anos da imobiliária

Por Vívia Lima

27/09/2020 às 07h00

Diogo Souza Gomes ao lado da assistente virtual Beta: Tecnologia para humanizar as relações (Foto: Leonardo Costa)

Quarenta anos construindo sonhos e fazendo parte da história da cidade. A tradição da Souza Gomes Imóveis, fundada em 1980 por Roberto Souza Gomes, mineiro de Carangola, é marcada por inovação e pela dedicação de uma família que sempre teve vontade de vencer. Com a morte de Roberto e os filhos ainda pequenos, sua esposa Norma abriu mão da carreira para dar espaço ao sonho iniciado pelo marido e aprendeu, na prática, como ser gestora de uma empresa que aposta na transformação digital, sempre focada no conceito de ajudar as pessoas a encontrarem felicidade. Mais do que clientes, aprendeu a fazer amigos.

 Norma é diretora geral da empresa, da qual é sócia com os dois filhos Victor, diretor de vendas, e Diogo, CEO, sempre ligado nas mudanças do mercado. A tecnologia é uma aliada para melhorar o desempenho e os resultados da empresa. Assim, para celebrar os 40 anos, completados em setembro, a Souza Gomes Imóveis lança sua assistente virtual, a Beta, cujo nome homenageia o fundador Roberto. Apesar de virtual, Beta promete humanizar ainda mais a relação com os novos e antigos clientes e transformar a experiência de alugar e comprar um imóvel. Em entrevista à Tribuna, Diogo Souza Gomes conta mais sobre essa nova personagem e fala sobre o mercado imobiliário.

Tribuna – O que motivou a instalação da imobiliária em Juiz de Fora?

Diogo Souza Gomes – A Souza Gomes foi fundada pelo meu pai, Roberto Souza Gomes. Ele já trabalhava no mercado imobiliário, na construtora Roma, e dela surgiu a Souza Gomes, em 1980. Roberto era de Carangola, Minas Gerais, e, como ele, todos os seus irmãos vieram estudar em Juiz de Fora, que se tornou a cidade da família. A Souza Gomes nasceu com uma bagagem muito grande. Com poucos anos de atuação, já era a principal imobiliária da cidade, com centenas de lançamentos e várias ações de marketing superinovadoras para a época.

Como você avalia essa trajetória de 40 anos, iniciada na Rua São João? Quais foram os principais desafios ao longo dessas quatro décadas?

Nosso maior desafio foi a perda do Roberto em 1994. Depois de dois anos batalhando com a doença, ele não resistiu ao transplante de fígado, e a Souza Gomes foi totalmente desacreditada no mercado, pois com sua morte não havia sucessor para a empresa. Como eu e meu irmão Victor éramos muito pequenos, a minha mãe Norma abriu mão da carreira acadêmica para cuidar da família. Dessa forma, não tinha nenhuma experiência com administração de uma empresa, menos ainda do mercado imobiliário. Foram anos muito difíceis, mas a Norma aprendeu na prática como dar prosseguimento a esse legado e se tornou uma corretora de imóveis diferenciada. Depois de 40 anos, o desafio continua sendo a inovação e o atendimento humanizado diante de um mercado tão tradicional e focado nas vendas.

Um imóvel, seja ele próprio ou alugado, representa, em muitos casos, a realização de um sonho. Local em que muitas famílias criam raízes e nele vivem durante toda a vida. Como é fazer parte da história de muitas pessoas e da história de Juiz de Fora?

O conteúdo continua após o anúncio

Brincamos que 1 a cada 9 juiz-foranos moram em um imóvel negociado por nós. Claro que isso é uma conta matemática, mas temos muito orgulho de fazer parte do crescimento da cidade, com mais de 21.000 imóveis vendidos, 220 lançamentos exclusivos, de prédios a bairros inteiros como Bom Clima, Cascatinha, o loteamento do Granbery, mansões do Bom Pastor, entre outros. Bem mais do que vender ou alugar, a Souza Gomes é parte da cidade, e buscamos nos envolver com os juiz-foranos através de ações da imobiliária que priorizaram parceiros daqui, como o hambúrguer com o Texas, a Cerveja Croqui com a Antuérpia, o lançamento da assistente virtual com a agência de publicidade Sagres e a ParaRaio Filmes, e tudo mais que vem por aí, como a coleção de camisas com a Chico Rei, o café personalizado com a Mr. Pina e a pizza com o Mr. Tugas. Tentamos nos envolver e ajudar os juiz-foranos desde a compra, venda ou aluguel do seu imóvel até as experiências para quem não é nosso cliente, incluindo o uso do nosso salão para eventos de empreendedorismo e a nossa biblioteca aberta ao público.

Na contramão da crise econômica, o setor imobiliário experimenta um período de aquecimento em meio à pandemia. O que a Souza Gomes tem feito nos últimos meses para alcançar resultados positivos?

Envolver a sociedade juiz-forana nesses 40 anos de empresa também significa compartilhar boas práticas. Durante a pandemia, vimos o quão importante foi o planejamento e a valorização do digital na história da empresa. Dessa forma, ficamos conectados por cinco meses em home office sem perder em produtividade, por termos investido, lá atrás, em manuais on-line, treinamentos, processos de compra, venda e aluguel totalmente on-line, ações de marketing voltadas para atendimentos personalizados, como o cliente poder escolher o corretor que vai atender pela afinidade através de um perfil no site; estudos de dados e comportamento do consumidor, entre outras estratégias. Com a queda dos juros imobiliários e o retorno dessa demanda reprimida durante a pandemia, aliado aos processos digitais citados, a empresa já negociou em 2020 o mesmo número de imóveis do ano passado

Ao longo do tempo, a Souza Gomes tem inovado, seu site foi eleito o melhor site imobiliário do Brasil. Além disso, os clientes podem escolher seus consultores de acordo com o perfil. Outro diferencial é o tour virtual pelos imóveis que são apresentados de maneira bem pessoal. Como não perder a tradição apostando também na inovação e na tecnologia?

Seja em ações no digital ou off-line, a tradição da Souza Gomes de 40 anos no mercado juiz-forano se mistura a inovações pensadas em gente. Tudo o que fazemos é para que o cliente tenha uma experiência mais eficaz e confortável, seja para tomar um café especial, conhecer a cidade por imagens aéreas ou visitar o imóvel sem sair de casa, até fechar contrato sem ter dor de cabeça. A tradição está em pensarmos, desde 1980, em como Juiz de Fora pode ter um mercado imobiliário mais humano e fora dos padrões com a ajuda da tecnologia.

A Souza Gomes está lançando sua assistente virtual, a Beta, uma forte tendência no mercado. Como será a interação dela com o público? O que muda com a chegada dessa assistente virtual na Souza Gomes e no setor imobiliário de Juiz de Fora?

Entendemos que a Beta é bem mais do que uma assistente virtual, ela é a personificação de milhares de emoções vividas nesses mais de 20 mil imóveis negociados e aproximados 14.400 dias de imobiliária. Ela é uma mulher alegre, que adora filmes, pizza, meditação e viagens, além, é claro, de bater papo sobre todos os assuntos, até sobre imóveis, na rede social @souzagomesimoveis. A chegada dela é uma prova de que a vida pode começar aos 40 e representa o foco em pessoas que a SGI tanto preza desde os anos 80. Durante sua chegada, a Beta invadiu os stories de várias pessoas e também os veículos de comunicação. A interferência dela no site e jornal físico da Tribuna foi uma ação totalmente inédita, e ficamos muito felizes com toda a repercussão do seu surgimento. Hoje, a Beta assume as redes sociais da Souza Gomes, opina sobre imóveis, conversa sobre seus gostos e preferências e vai aparecer em vários outros locais que serão divulgados em breve. Ela vai além de ser um mascote de uma marca: é a primeira atendente virtual com emoções reais visto que não está conectada a um chatbot (programa de computador que tenta simular um ser humano). São pessoas interagindo com pessoas. Tudo que for relacionado ao digital da SGI, você conversa com a Beta e não apenas como uma marca. Ela interage com toda Juiz de Fora e é uma grande inspiração para o mercado imobiliário nacional. Fomos eleitos como o quinto melhor lugar de Minas Gerais para se trabalhar e agora temos mais uma integrante desse querido grupo: a Beta Souza Gomes.



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia