Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

Mercedes deve transferir 200 funcionários em janeiro

Parte dos trabalhadores será realocada para São Bernardo; Há possibilidade de novo turno de produção de cabinas e PDV para fábrica juiz-forana

Por Gracielle Nocelli

06/11/2019 às 17h49- Atualizada 06/11/2019 às 17h54

A transferência de 200 trabalhadores da fábrica da Mercedes-Benz de Juiz de Fora para São Bernardo do Campo, em São Paulo, deve ter início em janeiro de 2020. O grupo trabalha na produção do caminhão Actros, que também será levado para a planta paulista em agosto do ano que vem. O número, no entanto, não contempla o total de 350 funcionários que atuam nesta área. Por isso, outras alternativas estão sendo cogitadas, como a abertura de um novo turno para a montagem e pintura de cabinas na unidade juiz-forana e um programa de demissão voluntária (PDV). As informações foram repassadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos à Tribuna, nesta quarta-feira (6).

Na terça (5), representantes do sindicato e da montadora se reuniram para discutir o assunto. A empresa já havia mencionado o interesse em transferir parte dos trabalhadores para a unidade paulista, o que causou um clima de insegurança dentro da fábrica local, conforme mostrado pela reportagem publicada no mesmo dia. “Nós entendemos a apreensão dos funcionários, pois a proposta é que as pessoas saiam da cidade delas para irem para um lugar novo, começarem do zero uma vida e uma carreira profissional. Nós não gostaríamos de estar discutindo esta situação, mas é a realidade que nos foi apresentada e estamos fazendo o possível para salvar os empregos”, informou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, João César da Silva.

LEIA MAIS:

A adesão à transferência será espontânea. “O sindicato está acompanhando tudo de perto para evitar qualquer tipo de pressão. Acordamos que o funcionário que tiver o interesse irá se manifestar e, posteriormente, visitar a fábrica de São Bernardo para confirmar o interesse”, explica João. “Aqueles que quiserem ser transferidos receberão um pacote de incentivos.” Segundo ele, entre os benefícios propostos estariam hospedagem de até 15 dias para busca por imóvel; auxílio para aluguel no valor de R$ 500 durante quatro meses; auxílio para mudança no valor de R$ 3 mil; pagamento de bônus salarial no ato da transferência e após um ano de atuação na fábrica; além de reajuste imediato de 10% do salário e mais adicional de 25% durante dois anos.

Contratação temporária

Ainda na negociação entre as partes, conforme a entidade de classe, teria ficado definida a realização de contratação temporária para substituição dos funcionários transferidos. “O contrato será no período de janeiro a agosto, enquanto a produção do Actros ainda estiver na cidade”, informou João César.

Em nota enviada à Tribuna, a assessoria da Mercedes informou que “desde 2014, anunciou investimentos para concentrar toda a produção de cabinas em Juiz de Fora e a fabricação de caminhões em São Bernardo do Campo. Nesse contexto, chegou a hora de iniciar as conversas com os colaboradores, com o intuito de reorganizar as atividades na unidade mineira”. Ainda de acordo com a Mercedes, a reorganização das atividades tem sido conduzida “de forma transparente ao longo desse período perante os colaboradores e representantes do sindicato local”.

O conteúdo continua após o anúncio

Fábrica terá novo turno em fevereiro

Por conta do projeto de concentração das atividades em cada uma das fábricas, deve ser aberto um novo turno para a montagem e pintura de cabinas na planta juiz-forana a partir de fevereiro. A expectativa é que 120 profissionais que atualmente trabalham com a produção do Actros sejam remanejados para esta função.

Desta forma, do total de 350 trabalhadores envolvidos na produção dos caminhões, 200 devem ser direcionados para a unidade paulista para realizar o mesmo trabalho e 120 podem ser aproveitados na planta juiz-forana na linha de montagem e pintura de cabinas. Já as 30 vagas restantes ainda não possuiriam destino certo.

A empresa e o sindicato teriam chegado a uma terceira alternativa que é o programa de demissão voluntária (PDV). “Este programa vai ficar aberto até agosto do ano que vem, e a gente espera conseguir trazer um novo projeto até lá que possa também absorver este número. Nós estamos buscando todas as alternativas possíveis para não haver impacto para os trabalhadores, ou, se ocorrer, que seja o menor possível”, afirma o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, João César da Silva.

Impactos econômicos

No entanto, ele reconhece que os impactos econômicos para a cidade são grandes. “Juiz de Fora vai perder 200 empregos com esta transferência. Isto significa menos postos de trabalho, renda e consumo para a cidade. Infelizmente, a Prefeitura e o Governo de Estado não se importam com os trabalhadores, o que é um total desrespeito não só com a categoria, mas com o setor da indústria. Então, nos resta lutar sozinhos para buscar alternativas diante desta realidade.”

A Tribuna entrou em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, que informou, em nota, que “a Mercedes-Benz comunicou ao Governo de Minas que, em 2020, ocorrerá a descontinuidade da produção da linha de caminhões em Juiz de Fora e destacou que planeja investimentos para a fábrica da cidade”. O texto diz, ainda, que “a Sede mantém contato com a direção da Mercedes-Benz, e a mesma trabalha para a manutenção das atividades econômicas na região da Zona da Mata”.

A Prefeitura de Juiz de Fora, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Agropecuária (Sedeta), lamentou a transferência dos funcionários da unidade local da Mercedes-Benz para São Bernardo do Campo. “Ressaltamos que a empresa é uma grande empregadora do município e tem sido foco da atuação da Prefeitura e do estado de Minas. Desde a sinalização da possibilidade de transferência de atividades da empresa para outro estado, várias reuniões foram realizadas, inclusive envolvendo o Legislativo estadual e municipal, para discutir questões tributárias e de infraestrutura de interesse da empresa”, afirmou em nota. “No entanto, entende-se que alguns fatores envolvidos na tomada de decisão fogem ao controle do Poder Público. A Prefeitura espera que tudo o que foi discutido junto à Mercedes seja de interesse, e que a empresa continue investindo no município, como fez nos últimos 20 anos.”

Tópicos: Mercedes-Benz



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia