Coro Acadêmico faz concerto gratuito no Central nesta quinta

Grupo da UFJF celebra terceiro ano de projeto com repertório variado em época, gênero e estilo, intitulado “Do universal ao brasileiro”

Por Carime Elmor

11/07/2018 às 19h59 - Atualizada 16/07/2018 às 17h25

Foto: Gabriela Angelique

Em meados de 2014, o professor Willsterman Sottani, coordenador do curso de Licenciatura em Música da UFJF, idealizou o projeto do Coro Acadêmico. Era recém-chegado, após um longo período morando na capital mineira e, ao começar a participar de encontros de corais, ficou impactado com o movimento que gira em torno de grupos não profissionais em Juiz de Fora. Em 2015, conseguiu colocar em prática e iniciar um novo coro, o quinto presente na comunidade da UFJF, uma vez que existem o tradicional Coral Universitário, com 50 anos, o Coral do Pró-Música, o Coral do Colégio João XXIII, além do Coral da Funalfa.

Para celebrar os três anos de um projeto que engloba ensino, pesquisa e extensão, o Coro Acadêmico da UFJF vai apresentar um repertório variado em época, gênero e estilo, intitulado “Do universal ao brasileiro”. O concerto é nesta quinta-feira, às 20h, no Cine-Theatro Central. Os ingressos podem ser retirados na recepção do Teatro do Pró Música até as 17h, ou na sala 8 do Departamento de Música (IAD – UFJF).

Um dos pontos centrais que permeiam as atividades é o de levar a música coral de concerto para territórios pouco usuais. Willsterman Sottani, que além de idealizador é quem faz a regência do coro, tem buscado estabelecer conexões com instituições de ensino pública situadas em regiões periféricas. “Este é um objetivo que ainda não consegui alcançar, talvez nunca consiga, mas é o que vamos sempre buscar, enquanto nos tornamos mais próximos deste ideal.” Depois da construção do repertório base, que levou cerca de um ano e meio, começaram a unir esforços e agendar visitas às comunidades.

A fim de atrair a atenção dos estudantes, ainda em fase de educação infantil e fundamental, convidam-nos a uma prática junto ao grupo. “Em uma das brincadeiras, a gente chama uma pessoa da plateia para reger o coro, sem nenhuma técnica. E às vezes a gente descobre uma criança que tem um talento inato para a regência, é incrível. Algumas fazem a maior farra, outras vão lá e regem com muita habilidade, tratando-se de ouvido e gestual, além de expressão facial”, conta Willsterman, lamentando ainda não conseguir pensar em uma maneira de investir naquele talento. “De repente a gente descobre um gênio da regência! Eu já estive diante de criança que eu pensei que se ela tivesse um estímulo financeiro, se tornaria um regente de renome, não estou falando alguém como eu que é um regente de uma instituição pública, estou falando de alguém que vai fazer sucesso, carreira internacional, tem crianças com este potencial nesses lugares. São coisas que me surpreendem, mas infelizmente não conseguimos regar essas sementes com muita eficiência.”

O conteúdo continua após o anúncio

Willsterman fica atônito ao perceber o silêncio que se transforma uma sala cheia de adolescentes que se calam ao ouvir e ver um coro pela primeira vez. Formado por 28 cantoras e cantores, o Coro Acadêmico é um projeto de extensão, e, por isso, mesmo quem não é aluno de nenhuma graduação ou curso da UFJF pode integrar o grupo, desde que passe por uma seleção. Para quem é aluno, o Coro Acadêmico é uma disciplina, inclusive obrigatória no currículo acadêmico de algumas habilitações do Bacharelado e Licenciatura em Música. Os ensaios se dão exatamente no decorrer dos encontros da disciplina, no prédio do Instituto de Artes e Design (IAD – UFJF).

A escolha do repertório

O Coro Acadêmico, apesar de ter uma formação de membros muito rotativa, mantém um repertório contínuo, que vai sendo atualizado pouco a pouco. Das 12 músicas que serão apresentadas nesta quinta-feira, apenas três não foram compostas especificamente para coro. “O Chico Buarque e o Luiz Gonzaga são pontos fora da curva de nosso repertório. ‘Homenagem ao malandro’ e ‘Mulher rendeira’ são duas músicas com arranjos feitos a partir de música popular, para canto coral. Também será apresentado um arranjo que eu fiz de uma música folclórica do século XVI para o canto coral”, explica Willsterman Sottani.

Embora não seja a maioria, algumas composições contemporâneas estão sendo trabalhadas pelo grupo, mas o regente explica como essas composições são mais difíceis de serem apresentadas. “A música contemporânea extrapola alguns limites de regras de composição do século XVII e XVIII, com as quais o coro estava habituado desde o início e que são muito palatáveis para a voz e o ouvido. A partir disso, começa uma busca pelo virtuosismo. E agora, no século XXI e final do século XX, existem obras que demandam conhecimento musical específico. Até para o ouvinte é necessário uma certa quantia de conhecimento musical, a partir do século XX, a música coral nem sempre é possível de ser tão bem compreendida pela audiência”. No entanto ele, bem como todo o grupo, tem se surpreendido positivamente como “Water night”, do compositor Eric Whitacre, e “Linda estrela”, do brasileiro Nelson Salomé, ambos contemporâneos, estão sendo um ponto alto do concerto. Quem for ao Cine-Theatro Central nesta noite poderá conferir e sentir.

Coro Acadêmico da UFJF
Concerto nesta quinta-feira (12), às 20h, no Cine-Theatro Central. Entrada gratuita. Ingressos podem ser retirados na recepção do Teatro do Pró Música até as 17h, ou na sala 8 do Departamento de Música (IAD – UFJF)

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail





Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia