Tópicos em alta: tiroteio entre polícias / polícia / enem 2018

Publicitário de JF participa de campanha da Netflix premiada em Cannes

Com visual inspirado nos anos 80, campanha ‘Stranger Broadcast’ faturou dois prêmios em festival de publicidade

Por Júlio Black

10/07/2018 às 16h56

Maurício Dias (centro) participou do projeto premiado em Cannes com outros integrantes da AKQA Brasil, entre eles o diretor de arte Murilo Santos (à esquerda) e o motion designer Allan Langer (à direita)

O juiz-forano Maurício Dias, formado em publicidade e propaganda pela Centro Universitário Estácio de Sá, pode comemorar fazer parte da equipe que levou alguns dos prêmios mais cobiçados no setor em todo o mundo: os Leões de Prata e de Bronze no Festival Internacional de Criatividade de Cannes, realizado em junho na cidade francesa, graças a uma campanha realizada em 2017 pela agência AKQA Brasil para divulgar a Netflix na TV aberta.

Para quem é ligado em séries e filmes em geral, a Netflix é um serviço de streaming que já faz parte do cotidiano, a ponto de poder ser considerado tão essencial quanto os serviços de água, luz, gás, telefonia celular. Mas não é todo mundo que está conectado nas chamadas “modernidades”. Pensando nesse público, a plataforma encomendou à AKQA Brasil uma campanha para divulgar seu serviço entre o público ainda fiel à boa e velha TV aberta.

Foi assim que, na virada do dia 28 para 29 de outubro de 2017, o SBT foi a primeira emissora no país a transmitir um episódio da popular “Stranger things”, série produzida pela Netflix, acompanhada por uma espécie de “SBT Repórter” ficcional apresentado por Marília Gabriela, “passado” em 1984 e traçando paralelos com os monstros da produção (os Demogorgons) e o mito do Chupacabra, que trazia ainda comerciais hilários ligados a “produtos” que aparecem na série. Tudo com visual retrô, bem anos 80.

O resultado foi tão bom que o projeto, intitulado “Stranger Broadcast” (também conhecido como “Bagulhos sinistros), ganhou dois prêmios no Festival Internacional de Criatividade de Cannes, um dos mais importantes no mundo no setor de publicidade: um Leão de Prata na categoria Entertainment e outro, de Bronze, na categoria Media.

Esforço coletivo
Maurício mora em São Paulo há cinco anos e trabalha como redator na área de criação da AKQA Brasil há pouco mais de um, como redator. Ele esteve envolvido no projeto desde a criação e estratégia da ideia até a elaboração dos roteiros finais. “Teve muito pitaco na hora da edição também (risos)”, conta. “Foram aproximadamente quatro meses de trabalho, com várias etapas de aprovação. A ideia do ‘Stranger Broadcast’ agradou desde o início, mas não foi tão simples de sair do papel. Todos se esforçaram muito. Tanto agência, quanto cliente. E, depois de muito trabalho, as coisas se alinharam e tudo deu certo”, comemora.

O conteúdo continua após o anúncio

O redator explica ainda que o SBT sempre foi o canal preferido para a execução da ideia. “Além de grande parte da audiência ser formada pelo público que queríamos atingir (pessoas que ainda não assinavam Netflix e não conheciam ‘Stranger things’), muitos brasileiros têm um vínculo afetivo com o canal. Existia também o fato de termos achado materiais antigos do ‘SBT Repórter’ que nos ajudavam a traçar o paralelo entre o monstro da série (Demogorgon) com o antigo mito do Chupacabras. Para completar, havia uma aproximação natural com o Silvio Santos, que citou a Netflix em diversas ocasiões – uma delas rendeu até uma resposta do presidente da própria Netflix, que deu ao dono do SBT uma assinatura vitalícia.”

A premiação em um festival que é referência no setor é algo que Maurício afirma que precisa ser comemorado, por mostrar o reconhecimento de um trabalho que competiu com outros de igual qualidade – e também por ser o primeiro no evento que teve sua participação. “Foi uma alegria geral de todo mundo. O Festival de Cannes é um dos principais prêmios da publicidade e tem muita visibilidade. Isso o transforma numa espécie de termômetro, uma forma de saber para onde o mercado está caminhando criativamente. Ter o reconhecimento internacional pode abrir portas.” Um prêmio desse porte foi a primeira vez.

Campanhas de sucesso
Maurício destaca ainda que os prêmios ajudam a ressaltar a importância da presença da AKQA no Brasil, por ter uma visão que considera diferente do que costuma ser feito no país. “Ela está em vários países e acabou trazendo uma outra cultura para o mercado brasileiro. O modelo de negócios é diferente: a agência lucra na criação dos projetos e não no bônus de veiculação – o famoso BV, como a maioria das agências brasileiras fazem. Isso valoriza a criatividade e dá uma liberdade muito maior, pois as ideias não partem de um plano de mídia pré-estabelecido. Elas nascem sem formato. Pode ser do tradicional comercial de 30 segundos até a um aplicativo, um videoclipe, uma estátua no meio da rua ou qualquer coisa. Dependerá de onde vier a criatividade.”

Além de “Stranger Broadcast”, Maurício participou de trabalhos para empresas como a Google, Bauducco, Uber e de outro projeto para a Netflix. “Teve a divulgação de ‘Bright’, o filme de Will Smith na Netflix, no qual usamos o Evaristo Costa na campanha. Utilizamos um trecho do filme para simular o ex-âncora contracenando com Will Smith, como se os dois estivessem na mesma cena.”

Sobre os projetos futuros, um pouco de mistério, tal e qual “Stranger things”. “Só posso falar depois que sair (risos)! Mas atualmente tenho trabalhado mais para projetos com o Google e a própria Netflix.”

 

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia