Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Delegado aposentado morre vítima de Covid em Juiz de Fora

Nos últimos dois meses, Carlos Roberto da Silveira Costa estava internado em unidade hospitalar do município


Por Tribuna

28/07/2021 às 18h32- Atualizada 28/07/2021 às 18h39

Carlos Roberto da Silveira Costa atuou também em Olaria, Guarará, Bicas e São João Nepomuceno (Foto: Olavo Prazeres/Arquivo TM)

Morreu, nesta quarta-feira (28), o delegado aposentado da Polícia Civil Carlos Roberto da Silveira Costa, que atuou durante 25 anos na Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). Nos últimos dois meses, Carlos Roberto estava internado para o tratamento de uma infecção causada por Covid-19 em uma unidade hospitalar de Juiz de Fora.

Em dezembro de 2016 ele foi nomeado para chefiar o 4º Departamento de Polícia Civil de Juiz de Fora (4º DEPPC), que compreende as delegacias regionais de Juiz de Fora (1ª DRPC), Ubá (2ª DRPC), Leopoldina (3ª DRPC) e Muriaé (4º DRPC), bem como as Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP). No total, o delegado foi responsável pelo policiamento de 86 municípios, onde atuou por mais de dois anos.

O conteúdo continua após o anúncio

Carlos Roberto era graduado em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e natural de Juiz de Fora. Ingressou na Polícia Civil do Estado de Minas Gerais em setembro de 1990, após concurso para delegado, tendo atuado nas delegacias de Olaria, Guarará, Bicas e São João Nepomuceno.

Uma nota de condolências foi enviada pelo chefe da Polícia Civil de Minas Gerais aos familiares e amigos de Carlos Roberto.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia