Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

PJF não acatará decisão que prevê retorno presencial obrigatório às aulas

Deliberação foi indicada pelo Estado na última sexta-feira; Município, entretanto, continuará com formato híbrido


Por Carolina Leonel

25/10/2021 às 21h21

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) informou, nesta segunda-feira (25), que vai manter o atual protocolo sanitário para as atividades educacionais no município, que prevê o formato híbrido de ensino – com aulas remotas e presenciais. A Administração municipal afirmou que segue os documentos orientadores aprovados no Conselho Municipal de Educação. A avaliação atual é de que o formato presencial híbrido “tem funcionado bem até o momento”.

O conteúdo continua após o anúncio

Na última sexta-feira, o Governo de Minas Gerais divulgou que, a partir de 3 de novembro, o retorno às aulas presenciais não será mais facultativo nas redes públicas e privadas de ensino em todo o estado. A decisão foi tomada pelo Centro de Operações de Emergência de Saúde (COES), da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, que aprovou a sexta versão do Protocolo Sanitário de Retorno às Atividades Escolares Presenciais.

A medida também acaba com a exigência de distanciamento adicional de 90 centímetros entre os estudantes nos ambientes da escola. O Município, entretanto, tem autonomia para definir os protocolos sanitários de volta às aulas. Atualmente, o vigente em Juiz de Fora prevê o distanciamento mínimo de 90 centímetros entre os estudantes e demais membros da comunidade escolar.

Tópicos: coronavírus

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia