Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Saúde inicia trabalhos para segundo Liraa de 2019 nesta segunda

Primeiro levantamento foi realizado em janeiro e apontava situação de alerta na cidade


Por Tribuna

14/10/2019 às 12h41

O segundo Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (Liraa) de 2019 teve início nesta segunda-feira (14) em Juiz de Fora. A ação, coordenada pela Secretaria de Saúde da Prefeitura de Juiz de Fora (SS), consiste na visita de agentes de combate a endemias a imóveis para apurar o nível de infestação predial do município. O levantamento anterior havia sido divulgado em janeiro deste ano, quando apontou situação de alerta.

De acordo com a pasta, serão visitados 5.593 imóveis em 224 bairros até sexta-feira (18), caso não chova na cidade. Durante a intervenção, os focos do mosquito Aedes aegypti – vetor da dengue, zika e chikungunya – recebem aplicação de larvicida ou são eliminados. Com os dados colhidos nas operações, é possível efetuar um mapeamento das áreas de maiores riscos em Juiz de Fora e direcionar as ações de combate.

O conteúdo continua após o anúncio

As equipes atuam nos imóveis uniformizados e com crachá de identificação da Prefeitura, entre 8h e 14h. A SS atende a dúvidas sobre a vistoria no telefone: 3212-3070.

Aedes aegypti

O surto de dengue de 2019 é o maior desde 2016, com mais de 6.500 casos prováveis notificados à Secretaria de Estado de Saúde, além de 13 óbitos confirmados e outros dois em investigação. Segundo o último boletim epidemiológico, Juiz de Fora tem, ainda, três casos prováveis de zika e 249 de febre chikungunya neste ano.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia