Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Hospital Regional João Penido retoma cirurgias eletivas

De acordo com nota da Fhemig, situação foi normalizada nesta segunda-feira


Por Carolina Leonel

11/11/2019 às 17h14

O Hospital Regional Doutor João Penido retomou a realização de cirurgias eletivas, nesta segunda-feira (11), de acordo com nota da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), gestora do hospital, encaminhada à Tribuna. Os procedimentos haviam sido suspensos na última quarta-feira (6), devido à falta de roupas e enxovais apropriados para as intervenções. O motivo da carência de vestimentas, contudo, não foi explicado pela fundação, que alegou ter tomado as devidas providências para que não ocorressem prejuízos à assistência dos pacientes.

O conteúdo continua após o anúncio

Na semana passada, a situação foi denunciada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (SindSaúde-MG). Segundo a diretora do SindSaúde-MG, Lenir Romani, a falta de roupas apropriadas para os procedimentos hospitalares tem sido recorrente na unidade, uma vez que as vestimentas têm sido entregues em menor quantidade e, muitas vezes, desgastadas.

A Secretaria de Saúde informou, na última sexta (8), que notificou o hospital por descumprimento de contrato. Em nota, a pasta pontuou que uma servidora esteve na unidade para apurar a situação e constatou que os pacientes foram informados sobre a suspensão e que os procedimentos estão sendo reprogramados. A expectativa da Subsecretaria de Regulação é de que as cirurgias reagendadas sejam realizadas ainda em novembro.

Tópicos: saúde

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia