Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Moradores afirmam ter feito denúncias à PJF sobre aglomeração

Prefeitura disse que vizinhança não teria comunicado baile funk ocorrido em granja, no último sábado


Por Tribuna

04/11/2020 às 21h55- Atualizada 04/11/2020 às 21h56

Moradores do Condomínio Parque Verde, no Bairro Sagrado Coração de Jesus, na Zona Sul, procuraram a Tribuna nesta quarta-feira (4), para informar que, da parte deles, houve denúncias à Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) no que se refere à aglomeração de pessoas gerada por um baile funk em uma granja na Rua Marciano Pinto, no último sábado (31).

Em reportagem publicada pela Tribuna, nesta quarta, a Prefeitura havia informado que nenhuma denúncia acerca do evento em área particular foi recebida pelo seu setor de fiscalização ou pela Guarda Municipal. Todavia, uma das moradoras do condomínio, que fica em frente à granja onde o evento foi realizado, contou que ela foi uma das residentes que acionaram a PJF pelo telefone 153.

O conteúdo continua após o anúncio

“A festa começou por volta das 22h, gerando muita aglomeração na rua. Eu estava de carro e tive dificuldade de chegar até minha casa, porque a rua estava tomada de pessoas e outros veículos. Depois que consegui entrar em casa, liguei para o 153, por volta das 23h45, o servidor que me atendeu neste canal disponibilizado pela Prefeitura me disse que, por ser uma festa particular, não cabia responsabilidade da Prefeitura e, por isso, não tinha como mandar a fiscalização ao local. Eu até tentei argumentar, alegando que havia aglomeração na via pública, que as pessoas estavam sem máscara, mas mesmo assim não vieram”, disse a moradora, de 56 anos, que afirmou que a janela de seu quarto fica de frente para a granja onde o baile era realizado.

Segundo ela, a festa transcorreu durante a madrugada, o que causou o acionamento da síndica do condomínio por parte de outros moradores e diversas outras ligações ao telefone da PJF.

Nesta quarta, a PJF, por meio da assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Sesuc), informou que houve uma divergência de informações inicial. Conforme a pasta, a central registrou denúncia referente ao Bairro Santa Efigênia, que seria diferente ao apontado pelos moradores, onde ocorrera a aglomeração, em um evento particular, no Sagrado Coração. Todavia, o setor de inteligência apurou, nesta quarta, se tratar do mesmo lugar, de forma que, segundo a assessoria, os órgãos competentes estão tomando as providências cabíveis quanto ao fato de ser um evento comercial, uma vez que a granja está sendo alugada e nela sendo realizado o baile com venda de ingresso.

Tópicos: coronavírus

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia