Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Câmara aprova projeto que acaba com a saída temporária de presidiários

Foram 311 votos a favor, 98 contra e uma abstenção; texto segue agora para o Senado


Por Agência Estado

04/08/2022 às 18h51

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (3) projeto de lei que acaba com a saída temporária de presos. Foram 311 votos a favor, 98 contra e uma abstenção. O texto segue agora para o Senado.

De autoria da ex-senadora Ana Amélia Lemos (PSD-RS), o projeto inicial, que muda a Lei de Execução Penal, apenas limitava a saída temporária de presos, mas aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL) preferiram acabar de vez com o benefício que é concedido aos que cumprem pena em regime semiaberto. O texto aprovado pelos deputados também atribuiu ao juiz da execução penal a prerrogativa de determinar o uso de tornozeleira eletrônica.

O conteúdo continua após o anúncio

Ao justificar o projeto, o relator, o deputado Capitão Derrite (PL-SP), cita as saídas de presos em datas comemorativas como o Dia das Mães, Dia dos Pais e Natal.

Partidos da oposição, como PT, PSOL, PSB e PC do B, orientaram seus deputados a votar contra a medida. Lideranças da esquerda estavam em dúvida sobre apoiar ou não a proposta. Apesar de considerarem que o projeto alimenta o discurso de Bolsonaro e serve para unir a base do presidente às vésperas da eleição, esses parlamentares reconhecem que acabar com a saída temporária de presos é um tema popular, que encontra eco na população.

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia