Tópicos em alta: eleições 2018 / polícia / outubro rosa

Cortina ou persiana? Arquitetos indicam modelos para cada ambiente

Não existe uma regra que defina onde um produto vai melhor que o outro, o importante é pensar no efeito que se quer proporcionar

Por Bárbara Riolino

31/12/2017 às 07h00

Cortina eclipse em tecido cria mix de texturas no ambiente, mesclando efeito marmorizado e madeira (Foto: Leonardo Costa)

Em projetos de interiores, há quem misture cortina e persiana para criar um efeito único, que vai além da função primordial: controlar a quantidade de luz natural em um ambiente. Segundo o arquiteto Cláudio De Landa, não existe uma regra que defina onde um produto vai melhor que o outro. A primeira coisa a se pensar é no efeito que a pessoa quer para o ambiente. As persianas são acabamentos fabricados com aletas, que podem vir nas posições vertical e horizontal, enquanto as cortinas vedam as janelas em uma camada única.

“As persianas verticais podem ser feitas nos seguintes materiais: tecidos leves, blackout ou PVC. Já as horizontais apresentam lâminas de alumínio com 15mm, 25mm e 50mm, ou de madeira, com 50mm. Entre as cortinas, há os painéis e as de rolo (simples e romanas), além dos modelos eclipses, plissados e celulares. Além disso, existem as cortinas em tecidos feitas de forma personalizada”, explica Cláudio.

Na visão da arquiteta Raquel Fraga, as cortinas e as persianas se adaptam bem em todos os cômodos da casa, até mesmo como item decorativo. Em outros projetos, funcionam como elemento para setorizar espaços. O importante é ficar de olho no material e na rotina do ambiente. “Cozinha e banheiro pedem coberturas com material lavável”, destaca. Raquel destaca que as cortinas dão um toque de requinte ao ambiente, dependendo dos materiais com que são fabricadas, como linho e algodão, que vão bem em quartos. “Contudo, em dormitórios de adolescentes, mais despojados, utilizamos as persianas. Em salas, é possível combinar um pouco dos dois tipos, como uma persiana de madeira, que é muito bonita e sofisticada, que recebe um acabamento com a cortina, que proporciona mais acolhimento.”

Para portas e locais de passagem, Cláudio recomenda o uso de cortinas em tecido ou persianas verticais, pois permitem uma abertura para passagem. “Para as varandas que possuem fechamento em cortina de vidro, há a opção de usar os tecidos chamados de tela solar que permite quebrar a incidência dos raios solares, mantendo algum grau de visualização do ambiente externo conforme sua gradação.” Outro ponto a ser observado é que a persiana garante a ventilação do ambiente. “A cortina atrapalha um pouco, pois ela começa a voar”, ressalta Raquel.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Zerando a luz

Persiana rolô ajuda a controlar entrada de luz natural na sala de jantar (Foto: Leonardo Costa)

Para manter um pouco da luz natural, pode-se optar pelo voil, que aparece tanto em cortinas quanto em painéis. Já quem prefere zerar a entrada de luz, a opção é o blackout, que aparece em cortinas e também em persianas roll-on ou rolô, que, inclusive, podem ser controladas por controle remoto, para dar mais conforto durante o manuseio. As cortinas também já possuem essa tecnologia, pois existe um motorzinho próprio para que ela abre e se feche sozinha.

 

 

 

Tópicos:

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail





Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia