Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Quatro sebos que resistem à pandemia em Juiz de Fora

A Tribuna detalha onde estão, como sobrevivem e como acessar de casa espaços tradicionais de seminovos, usados e antiquário


Por Gabriel Ferreira Borges

23/04/2021 às 07h00- Atualizada 23/04/2021 às 07h41

Resistência é palavra de ordem para sebos. Íamos a sebos por ir aos sebos. Ninguém vai por passagem. Até poderíamos buscar especificamente algo. A primeira edição de “O negro no futebol brasileiro”, de Mario Filho. O “Samba Esquema Novo” de Jorge Ben. Mas sebos dispensam ajudas. Estão ali para serem garimpados. A pandemia alterou a lógica de sobrevivências das livrarias de seminovos, usados e antiquários. Agora, adaptação a canais virtuais de venda, como Instagram, Facebook e WhatsApp, é imperativa. Os sebos juiz-foranos até retomaram o atendimento presencial restrito após o avanço do Município para a faixa vermelha do Juiz de Fora pela Vida. Só que um ponto de inflexão nas vendas está posto. Não há visitas de luxo em uma pandemia. A Tribuna então reserva aos leitores o espaço para mostrar onde estão, sobrevivem e como acessar de casa quatro sebos tradicionais de Juiz de Fora.

Academia do Livro

A Academia do Livro está desde 1994 no mercado, mas há dois em novo endereço. O logradouro até é o mesmo, a Avenida Barão do Rio Branco. Se antes a casa estava no Bairro Boa Vista, no 4.617, a Academia está no número 2.585, na Casa d’Itália, no Centro. “O espaço ficou bem diferente. O pessoal fala que lembra muito as livrarias antigas. A porta é de madeira antiga etc”, diz o proprietário, Waltinho Pecci Maddalena. Além de livros usados e seminovos, os leitores podem encontrar objetos de antiquário. “A oferta é muito ampla em todos os segmentos de literatura, desde livro infantil até superior, passando por livros científicos, técnicos e escolares.” Ainda que tenha retomado o atendimento presencial das 9h30 às 17h, o sebo mantém os canais virtuais de venda, como Instagram e WhatsApp. O número é o (32) 98878-3504. A Academia do Livro também está na Estante Virtual. A plataforma, aliás, concentrou o maior volume de vendas do estabelecimento durante as restrições sanitárias impostas ao atendimento presencial.

O conteúdo continua após o anúncio
academia-do-livro-acervo-by-arquivo-pessoal
A Academia do Livro está localizada na Avenida Barão do Rio Branco 2.585, Centro (Foto: Waltinho Pecci Maddalena/Arquivo pessoal)

Banca do Vasco

banca-do-vasco-loja-12-by-arquivo-pessoal
Uma das lojas da Banca do Vasco, a 12. Todas as três são situadas na Rio Branco 2.069, Centro (Foto: Celso Roberto Mauler/Arquivo pessoal)

A Banca do Vasco também dança conforme a música durante a pandemia, como diz o gerente Celso Roberto Mauler. Mas o sebo segue há 60 anos na Avenida Rio Branco 2.089, lojas 9, 11 e 12. Ali, nas galerias Carmelo Sirimarco e Salzer. O atendimento presencial já foi retomado. Tanto nos dias úteis, das 10h às 19h, quanto aos sábados, das 10h às 14. Porém, as vendas foram mantidas pelos canais virtuais, como o Instagram. Caso o leitor opte pelo WhatsApp, o contato é (32) 98804-2058. Inclusive, a Banca do Vasco faz entrega a domicílio por meio de motoboy. Mas há também o fixo, (32) 3215-4421. “Trabalhamos com livros e revistas em geral, mas também com livros didáticos, escolares, do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, do ensino médio e do ensino superior”, detalha. Entretanto, o sebo ainda não atende na Estante Virtual, conforme Celso Roberto.

Livraria Flamingo

livraria-flamingo-cds-by-arquivo-pessoal
A Livraria Flamingo atende aos clientes no mesmo endereço desde 1995: Rio Branco 2.096 (Foto: Cláudia Carneiro/Arquivo Pessoal

A Livraria Flamingo mantém o espaço na Rio Branco 2.069, onde atende os leitores desde 1995, embora o sebo tenha sido fundado em 1984, ainda na Rua Mister Moore. O atendimento presencial, agora, vai das 10h às 19h. O local, detalha a proprietária Cláudia Carneiro, foi adaptado. “Diminuímos as entradas, por exemplo. Tínhamos cinco e tiramos duas. Além disso, também reduzimos o número de estantes para criar mais espaços livres, deixar o espaço arejado.” Além de trabalhar com livros e revistas, novos e usados, a Flamingo também vende CDs, DVDs e LPs. A gosto dos consumidores, o sebo mantém os canais de vendas e trocas on-line criados durante a pandemia, nos quais as vendas naturalmente aumentaram. A Flamingo pode ser requisitada pelo Instagram, bem como pelo WhatsApp, por meio do número (32) 99967-2842. O aplicativo por mensagens, por exemplo, pode ser utilizado para orçamentos de materiais didáticos durante os períodos escolares. O fixo da Flamingo é o 3215-7069. A livraria também está na Estante Virtual.

Quarup Livraria Antiquária

A Quarup é outro sebo em busca da adaptação aos mecanismos virtuais de venda. Não só de bibliografia e hemeroteca vive o espaço mantido desde 1993, de acordo com o dono, Claudio Luiz da Silva. “Tenho alguns souvenirs, como obras de arte, quadros de artistas como Dnar Rocha e Carlos Bracher, além de estampas, fine arts e pequenos objetos de antiguidade.” Há até correspondências, diários e cadernos de receita no sebo situado na Rua Padre Café 484, São Mateus. O atendimento presencial, embora retomado, está sob portas semicerradas, acrescenta Cláudio. Entra um, sai outro para manter o “atendimento personalizado”. A Quarup está no Instagram, Facebook e no WhatsApp, no (32) 99803-9368. Mas o sebo também pode ser encontrado em plataformas como a Estante Virtual e o Mundo dos Livros. “A cada dia que passa, há um público maior buscando tudo pela internet. É um mercado que também temos que absorver.”

quarup-antiquário-acervo-by-arquivo-pessoal
A Quarup é situada na Rua Padre Café 484, São Mateus (Foto: Claudio Luiz da Silva/Arquivo pessoal)

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia