Tópicos em alta: polícia / campeonato mineiro / bolsonaro

Ecossistema de startups em Minas Gerais

Por Por Weslem Faria, Izak Carlos, Inácio Fernandes, Almir Oliveira e Leandro Venâncio

08/01/2019 às 07h00 - Atualizada 08/01/2019 às 07h19

Encontrar a solução para algum problema é sempre a ambição de qualquer empreendedor. Quando utilizam tecnologia e inovação, com um modelo de negócios de baixo custo e alta capacidade de crescimento, estas soluções são chamadas de startups. O mercado das startups cresceu rápido no Brasil nos últimos anos, devido a diversos fatores, como por exemplo, a crise econômica de 2014, que fez com que diversas pessoas, sem  emprego, buscassem empreender com baixo custo. Nesse contexto, o Estado de Minas Gerais destaca-se como a região com segundo maior número de startups do Brasil, cerca de 12% do mercado brasileiro em 2018 segundo a Associação Brasileira de Startups (ABS).

A capital mineira, Belo Horizonte, desde 2005 quando o Google comprou a startup Akawan que desenvolve sistemas de busca, vem se firmando como
um pólo de inovação e tecnologia no estado. Denominada de San Pedro Valley, uma analogia ao Vale do Silício, essa região de Belo Horizonte
acomoda mais de 300 empresas, criando assim um ambiente de troca de experiência e inovação. Já em Juiz de Fora o número de startups é menor, 47
segundo a ABS. Na cidade, o CRITT (Centro regional de inovação e transferência de tecnologia) destaca-se como principal incubadora e a Universidade Federal de Juiz de Fora como a principal estrutura de formação.

O conteúdo continua após o anúncio

Além disso, o governo do Estado de Minas Gerais tem fornecido grande apoio para esse nicho. Em 2014 foi criado o SEED (Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development), programa do Governo que investe em startups mineiras com intuito de desenvolver a cultura empreendedora e diminuir as barreiras burocráticas para se empreender no Brasil. O programa já auxiliou 192 startups, que juntas já faturaram mais de 30 milhões gerando centenas de empregos, além da atração de R$10 milhões em investimento privado de 2014 a 2018.

Desse modo, torna-se clara a importância desse ecossistema inovador para o Estado de Minas Gerais, criando empregos e gerando renda para o
estado. Ademais, o crescimento de startups mineiras gera uma importante mão-de-obra qualificada para a difusão da cultura empreendedora e soluções para o cotidiano do mineiro. Uma startup mineira que tornou-se referência em todo Brasil foi a Sympla, empresa que facilita a compra de ingressos para os mais diversos eventos por meio de um aplicativo. Nesse movimento, quem ganha é a sociedade, que poderá contar cada vez mais com soluções viáveis, com custos menores, em menor tempo.

Conjuntura e Mercados

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia