Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

Após deslizamento, trânsito na MG-353 é parcialmente liberado

Pedras soltas ainda oferecem riscos, e trecho pode ser fechado novamente, segundo DER

Por Iuri Fontana, estagiário sob supervisão da editora Juliana Netto

11/01/2021 às 18h11- Atualizada 12/01/2021 às 10h10

Foi parcialmente liberado, na tarde desta segunda-feira (11), o trecho na MG-353, que liga Juiz de Fora a Coronel Pacheco, local onde ocorreram quedas de barreira durante as fortes chuvas que atingiram a região durante a madrugada. Após retirada de terra e de pedras que rolaram sobre a via, o tráfego passou a operar em meia pista, no esquema pare e siga. Mesmo com serviços de limpeza e desobstrução em andamento, a adoção do esquema, que vem sendo sinalizado pela Polícia Militar (PM) e Polícia Militar Rodoviária (PMR), precisou ser adotado principalmente por conta da necessidade de circulação de veículos da área de saúde.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo a Prefeitura de Coronel Pacheco, os incidentes foram registrados entre os km 56 e 60. De acordo com o encarregado geral do município, Oduvaldo Fávero, equipes e maquinários dos municípios de Coronel Pacheco e Goianá prestam apoio ao Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) e atuam na limpeza da estrada desde a manhã desta segunda.

Veículos foram liberados a trafegar no local em sistema pare e siga (Foto: Fernando Priamo)

Ainda conforme o encarregado, um engenheiro do DER-MG esteve presente no local para avaliar a situação e repassou a avaliação de que existem grandes possibilidades de pedras soltas, posicionadas acima da via, rolarem para a pista causando novas interdições. A liberação total da MG depende do serviço de maquinário especializado, como uma pá carregadeira ou escavadeira hidráulica para realizar o trabalho de retirada das pedras. O equipamento está sendo solicitado e ainda não há previsão de chegada no local.

Tópicos: chuva



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia