Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Sheila e PSL declaram neutralidade no segundo turno em JF

Após Sheila confirmar que não apoiará nem Margarida nem Wilson, o deputado federal Charlles Evangelista reforça isenção


Por Gabriel Ferreira Borges

19/11/2020 às 16h58- Atualizada 19/11/2020 às 20h16

A deputada estadual Sheila Oliveira (PSL) confirmou, nesta quinta-feira (19), em entrevista à Rádio CBN Juiz de Fora, que não apoiará candidato algum no segundo turno entre Margarida Salomão (PT) e Wilson Rezato (PSB) para a sucessão do prefeito Antônio Almas (PSDB) na Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). Aliás, a postura será a mesma adotada pelo PSL, como confirmado à Tribuna pelo presidente do diretório estadual da legenda, deputado federal Charlles Evangelista. Ainda que tenha arrecadado R$ 3,4 milhões para a campanha – o maior valor dentre as 11 candidaturas -, Sheila encerrou o pleito apenas na quarta colocação, atrás ainda de Ione Barbosa (Republicanos), com 26.068 votos (10,04%).

Conforme Sheila, a postura neutra adotada não tem a ver necessariamente com os candidatos, mas, sim, com os partidos. “Enquanto deputada estadual, particularmente, no momento, não pretendo apoiar nenhuma das duas candidaturas. Não tenho nada contra as pessoas em si, mas, pessoalmente, nunca votei em partidos de esquerda. É uma partido declaradamente de esquerda e outro socialista. Ambos não fazem parte do que acredito no momento”, disse. “Mas desejo tudo de bom para quem vencer as eleições. Não sou da política ‘quanto pior, melhor’. Quero que Juiz de Fora dê certo. Como deputada estadual, estarei apoiando do mesmo jeito, lutando por melhorias, buscando recursos etc. O meu gabinete estará sempre de portas abertas.”

O conteúdo continua após o anúncio

Questionada sobre como avalia a própria campanha, a deputada estadual agradeceu aos eleitores o apoio e o carinho durante a corrida eleitoral. “Coloquei o meu nome à disposição. Fiz uma campanha limpa e propositiva. A democracia é isso. Fica nas mãos da população quem ela acha que, no momento, tem o melhor perfil para administrar a cidade.” Eleita em 2018, Sheila tem mandato na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) até 2022.

PSL também mantém neutralidade

À Tribuna, o deputado federal Charlles Evangelista, presidente do diretório estadual do PSL, confirmou que, assim como Sheila, a legenda se manterá neutra durante o segundo turno, já que é uma disputa entre “dois partidos de esquerda, que divergem dos nossos pensamentos”. Logo, conforme Charlles, os filiados ao PSL estão liberados para se posicionar da maneira que bem entenderem. Nas eleições proporcionais, a sigla reelegeu apenas o vereador Luiz Otávio Fernandes Coelho (Pardal). “Independentemente do candidato que ganhar, estarei fazendo o meu papel de deputado federal e ajudando o Município junto ao Governo federal para que o desenvolvimento de Juiz de Fora seja colocado como prioridade”, ressaltou o presidente da Executiva estadual do PSL.

Ao ser perguntado sobre quais motivos levaram ao desempenho de Sheila nas urnas, Charlles apontou que o eleitor juiz-forano teria optado por um voto útil, além de ponderar o desgaste do próprio partido em âmbito nacional. “Infelizmente, Juiz de Fora escolheu por partidos de esquerda, e, por uma queda de Sheila na reta final, as pessoas optaram por um voto útil. (…) Além disso, o PSL passou por um grande desgaste após a saída do presidente Jair Bolsonaro, então tivemos uma grande dificuldade por conta disso. Somos um partido de direita, sem extremismos, mas fomos atacados tanto pela esquerda quanto pela própria direita, o que nos desgastou também.”

Tópicos: eleições 2020

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia