Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Novo terá candidatos em JF em 2020

Braço local da sigla do governador Romeu Zema supera a marca de 150 filiados ativos e cumpre regra definida pelo comando nacional da legenda


Por Renato Salles

15/07/2019 às 20h07- Atualizada 16/07/2019 às 14h36

Partido do governador Romeu Zema, o Novo atingiu em Juiz de Fora a meta exigida pelo comando nacional da sigla, vencendo assim objetivo interno para lançar candidaturas nas eleições municipais de 2020, quando estará em disputa a sucessão do prefeito Antônio Almas (PSDB) e o preenchimento das 19 cadeiras da Câmara Municipal. De acordo com regramento próprio da sigla, para se enveredar nas eleições municipais do ano que vem, cada diretório municipal teria que ter atingido a marca mínima de 150 filiados ativos até o último dia 15 de junho. Segundo o coordenador da agremiação partidária na Mesorregião da Zona da Mata, Frederico Miana, o braço municipal do Novo já conta com cerca de 250 filiados ativos em dia com a mensalidade de R$ 30, cobrada para manter o funcionamento do partido, número impactado por um percentual de aproximadamente 10% de inadimplência.

“Fomos a primeira cidade mineira depois de Belo Horizonte a atingir a meta definida pelo diretório nacional do partido”, explica Miana. Em encontro estadual do Novo realizado no último dia 6 de julho, que contou com a presença de Zema e de outras lideranças partidárias, o diretório local já havia reforçado a intenção de disputar as eleições com candidato à Prefeitura e postulantes a cadeiras na Câmara. Neste sentido, o núcleo do partido em Juiz de Fora deve abrir um processo seletivo para a definição de nomes que se envolverão na disputa. Para a disputa majoritária, já ocorreram especulações de que a legenda teria o interesse de lançar o nome Renato Machado na corrida pela Prefeitura. Até aqui, no entanto, as informações iniciais dão conta de que o empresário não teria manifestado interesse em aceitar a incumbência.

O coordenador regional da legenda reforça que a sigla segue recebendo filiados na cidade e, consequentemente, quadros interessados em disputar as eleições pelo partido, que deverão se submeter a processo seletivo, realizado em parceria com os diretórios nacional, estadual e municipal, para referendar a indicação. Ainda de acordo com Miana, para aqueles que objetivam disputar a Prefeitura, a filiação à legenda deve estar oficializada até outubro, cerca de um ano antes do processo eleitoral. Para os interessados na disputa pela Câmara, o prazo é maior. “O diretório nacional, porém, pode estender este prazo. Isto já ocorreu no passado”, pontua, lembrando que todo o processo é conduzido mediante regras internas definidas pela legenda.

Segundo informações do jornal “O Tempo”, além de Juiz de Fora, os diretórios municipais de outras 18 cidades mineiras teriam alcançado a marca definida internamente pelo Partido Novo, viabilizando, assim, a possibilidade de lançar candidatos nos pleitos municipais do ano que vem. Entre aqueles que atingiram a meta estão os diretórios municipais de Belo Horizonte, Betim, Contagem, Nova Lima, Pedro Leopoldo, Sete Lagoas, Juiz de Fora, Poços de Caldas, Varginha, Três Corações, Uberaba, Uberlândia, Araxá, Ituiutaba, Patos de Minas, Taiobeiras, Montes Claros, Governador Valadares e Ipatinga.

O conteúdo continua após o anúncio

Histórico

Ainda de acordo com o jornal da capital, o regramento interno do Novo que limita o lançamento de candidaturas nas eleições municipais de 2020 vai na contramão do observado em contendas passadas, quando os partidos dos atuais ocupantes do Governos de Minas sempre lançou um número significativo de candidatos às prefeituras do estado. De 1996 para cá, o menor número de candidatos a prefeito do partido do governador foi registrado em 2016, quando o PT, do ex-governador Fernando Pimentel, lançou 202 concorrentes aos poderes executivos dos 853 municípios mineiros. Vinte anos antes, em 1996, o PSDB, legenda do então governador Eduardo Azeredo (PSDB), lançou 461 candidatos a prefeito; em 2000, o MDB de Itamar Franco, 522; em 2004, o PSDB de Aécio Neves, 333; em 2008, novamente o PSDB de Aécio, 332; e, em 2012, o PSDB de Antonio Anastasia (PSDB), 315.

Mais de 80% dos filiados em JF são homens

De acordo com os dados constantes na relação de filiados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Partido Novo tem, hoje, 4.228 filiados em situação regular em Minas Gerais – o que não quer dizer, porém, que todos estejam ativos e em dia com as exigências internas da legenda, como, por exemplo, o pagamento de taxa mensal de R$ 30. Ainda segundo informações constantes no sistema do TSE, o diretório juiz-forano da sigla têm 181 filiados em situação regular. Destes, 149 são homens (82,3%) e 32 são mulheres (82,3%).

Segundo o coordenador regional do Novo na Zona da Mata, os números do TSE em relação a Juiz de For estão desatualizados, e o partido já tem cerca de 250 filiados na cidade. Por outro lado, sobre uma maior participação de homens dentro da legenda, Miana considera que este não é um fator partidário, mas estrutural, que é observado na maioria das agremiações partidárias. Por outro lado, ele não receia que isto possa ser impeditivo para que o partido de cumpra cota legal que exige que pelo menos 30% das candidaturas à Câmara sejam de mulheres.

Miana afirma ainda que o braço local do Novo incentiva a participação feminina e este ano já realizou um evento voltado exclusivamente para mulheres. Em contrapartida, destaca que a sigla é contra a cota eleitoral de reserva de candidatura para mulheres ou quaisquer outras cotas, reforçando que, no entendimento da legenda, a exigência não resultou em resultados práticos para o aumento da participação feminina nos parlamentos e acabou resultando em fraudes, como observados em outras legendas em contendas eleitorais recentes.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia