Tópicos em alta: matheus goldoni / CPI dos ônibus / polícia / bolsonaro / reforma da previdência

OAB recomenda afastamento de Moro e Dallagnol

Para os membros do Conselho, a interceptação de mensagens de autoridades públicas representa um grave risco à segurança institucional

Por Agência Estado

10/06/2019 às 20h58

Manifestando “perplexidade e preocupação” tanto pelo fato de autoridades públicas “supostamente terem sido “hackeadas”, quanto pelo conteúdo das conversas atribuídas a procuradores da República e um ex-magistrado, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Colégio de Presidentes de Seccionais da entidade recomendaram que Moro e o procurador Deltan Dallagnol se afastem dos cargos que ocupam até o esclarecimento dos fatos.

Para os membros do Conselho e do Colégio, a interceptação de mensagens de autoridades públicas representa um grave risco à segurança institucional, enquanto o teor das conversas atribuídas a Moro e aos procuradores pode indicar uma ameaça aos alicerces do Estado Democrático de Direito.

A Associação Juízes para a Democracia (AJD) e a Associação Latino-Americana de Juízes do Trabalho (Aljt) também se pronunciaram sobre as notícias divulgadas pelo The Intercept. Em nota conjunta, as entidades afirmam que as informações revelam que, quando juiz da Lava Jato em Curitiba, o atual ministro Sergio Moro “aconselhou, ordenou, sugeriu e, em determinados momentos, agiu como órgão acusador e investigador”.

O conteúdo continua após o anúncio

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) defendeu o esclarecimento do vazamento e do conteúdo das mensagens. “As informações divulgadas pelo site precisam ser esclarecidas com maior profundidade, razão pela qual a Ajufe aguarda serenamente que o conteúdo do que foi noticiado e os vazamentos que lhe deram origem sejam devida e rigorosamente apurados”, pontuou a entidade que representa os magistrados federais.

Ministros saem em defesa de Moro

Os ministros Augusto Heleno (Segurança Institucional), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo) saíram, nesta segunda-feira (10), em defesa do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Em mensagem enviada a contatos por um aplicativo de troca de mensagens, Augusto Heleno disse que “querem macular a imagem do Dr Sergio Moro, cujas integridade e devoção à Pátria estão acima de qualquer suspeita”. Para ele, “o desespero dos que dominaram o cenário econômico e político do Brasil, nas últimas décadas, levou seus integrantes a usar meios ilícitos para tentar provar que a Justiça os puniu injustamente”.

“Vão ser desmascarados, mais uma vez. Os diálogos e acusações divulgadas ratificam o trabalho honesto e imparcial dos que têm a lei a seu lado. O julgamento popular dará aos detratores a resposta que merecem. Brasil acima de tudo!!!”, escreveu.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia