Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / chuva / blogs e colunas / obituário / polícia

Zema anuncia R$ 8 milhões para a reforma do Grupo Central

Governador faz sua primeira visita a cidade após ser eleito nas eleições de outubro do ano passado

Por Renato Salles

05/07/2019 às 16h04- Atualizada 05/07/2019 às 18h54

Zema cercado por repórteres na quadra poliesportiva da Escola Estadual Delfim Moreira (Foto: Fernando Priamo)

Em sua primeira estada oficial em Juiz de Fora desde sua posse em janeiro deste ano, o governador Romeu Zema (Novo) cumpriu uma extensa agenda na cidade nesta sexta-feira (5). O principal compromisso foi a visita à Escola Estadual Delfim Moreira, no Centro, onde anunciou a liberação de R$ 8 milhões para a reforma do palacete onde, até 2013, funcionava a unidade escolar. Segundo o próprio governador, a conclusão das obras para a restauração da edificação, construída em 1850, que fica na esquina da Avenida Rio Branco com a Rua Braz Bernardino deve acontecer em um prazo que varia entre 18 meses e dois anos.

LEIA MAIS:

Zema pede apoio aos prefeitos da região

Zema traça cenário otimista do Estado apesar da crise

‘Um momento de satisfação poder visitar esta escola que é quase um monumento histórico da cidade e poder anunciar que, apesar de todas as dificuldades que temos enfrentado no Estado, conseguimos uma verba de R$ 8 milhões para fazer a reforma desta unidade que é simbólica para Juiz de Fora. Espero que, em breve, em um ano e meio ou dois, pois os trabalhos vão levar um tempo, eu possa voltar aqui para ter o prazer de entregar esta escola funcionando novamente”, afirmou Zema ao anunciar os recursos.
Emocionada, a atual diretora da Escola Estadual Delfim Moreira, Letícia Botelho Natalino, comemorou o anúncio feito pelo governador. “É uma escola muito importante que está no Centro da cidade. Para nossos alunos e estudantes, será muito bom retornar”, afirmou a diretora, ressaltando que o prédio que será reformado apresenta melhores estruturas e condições de ensino para o aprendizado dos estudantes. “É muito importante destacar que o Governo vem tomando medidas duras, mas necessárias. Mas o foco é sempre atender as necessidades dos alunos”, reforçou a secretária de Estado de Educação, Júlia Sant’Anna.

Na prática, com a confirmação da liberação dos recursos por parte do Governo, o Estado dará sequência a um processo cujo último passo foi registrado em setembro do ano passado, ainda na gestão do ex-governador Fernando Pimentel (PT), quando foi publicada, no Diário Oficial de Minas Gerais, a homologação de uma concorrência para a realização das obras de reforma do palacete. O pregão foi promovido pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem do Estado de Minas (DEER-MG). Na ocasião, o certame foi vencido pela Catalunha Engenharia Ltda., que apresentou proposta de preço global de R$ 7.986.885,27, referente a janeiro de 2018. O limite orçado pelo DEER era de R$ 10.062.247,70.

O conteúdo continua após o anúncio

Histórico

A reforma do prédio é uma velha reivindicação da comunidade escolar de Juiz de Fora. A possibilidade do anúncio da liberação de recursos para as obras da escola, também conhecida como Grupo Central, foi antecipada pela Tribuna, na coluna Painel, desta quinta-feira (4). A necessidade de reparos é cobrada desde 2013, quando foram constatados problemas de estrutura na edificação. Na ocasião, as atividades escolares foram transferidas para um prédio localizado na Rua Santo Antônio, cujos custos para os cofres estaduais são de aproximadamente “R$ 50 mil por mês”, como lembrou o próprio governador em visita a Juiz de Fora. Desde então, o palacete tem sofrido deterioração externa.

Governador segue em JF para evento do Novo

O governador desembarcou em Juiz de Fora na noite da última quinta-feira (4), mas os compromissos oficiais começaram a ser cumpridos já na manhã desta sexta. A primeira agenda ocorreu na Superintendência Estadual de Saúde, na Avenida dos Andradas, por volta das 9h. Em seguida, a comitiva do governador seguiu para o Centro de Formação do Professor, da Secretaria Municipal de Educação, onde se reuniu com cerca de 50 prefeitos da região, incluindo o chefe do Poder Executivo juiz-forano, o prefeito Antônio Almas (PSDB). Depois, Zema encontrou com empresários em almoço organizado pela Fiemg Regional Zona da Mata, na sede da entidade, no Bairro Industrial, Zona Norte.

No período da tarde, ele visitou a Vila Olavo Costa, na região Sudeste, onde esteve no projeto Núcleo Travessia, antes de seguir para a Escola Estadual Delfim Moreira. Integraram a comitiva do governador os três secretários estaduais de Juiz de Fora: o secretário de Governo, o ex-prefeito juiz-forano Custódio Mattos; a secretária de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá; e o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral. Durante o anúncio dos recursos para a reforma do prédio escolar, a secretária de Educação, Júlia Sant’Anna, engrossou o grupo.

Compromisso partidário

Extraoficialmente, Zema ainda cumpre agenda na cidade neste sábado, quando deve participar de encontro estadual do Partido Novo que será realizado no Trade Hotel. O governador desembarcou na cidade na noite desta quinta-feira, sem compromissos públicos neste dia, no entanto.

Estado reforça intenção de buscar parcerias para conclusão do Hospital Regional

Ainda durante a visita à Escola Estadual Delfim Moreira, Romeu Zema reforçou que o Governo de Minas já lançou um chamamento público para buscar uma solução para as obras de vários aparelhos de saúde cujos trabalhos estão parados no estado, incluindo o Hospital Regional de Juiz de Fora, localizado no Bairro São Dimas. “A situação financeira do Estado é de total desalento. Estamos tentando corrigir gradativamente”, afirmou.
Uma solução para a conclusão das obras é a abertura das portas do hospital, no entanto, deve passar por parcerias com a iniciativa privada. “O Estado não tem recursos para consolidar estes investimentos. Estamos falando de 11 hospitais regionais que, apenas para suas conclusões, custariam cerca de R$ 800 milhões. Então, ainda estamos analisando. Vamos encontrar uma solução. Já temos diversos caminhos que poderão ser seguidos que em breve nós devemos anunciar.”



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia