Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / chuva / blogs e colunas / obituário / polícia

Governo de Minas Gerais veta retorno do Campeonato Estadual no fim de julho

Tupynambás aprova decisão; secretário de Saúde elogia planejamento da FMF, mas Coes-MG analisa que “nenhum protocolo seria adequado no momento”

Por Bruno Kaehler (colaborou Sandra Zanella)

29/06/2020 às 16h08- Atualizada 29/06/2020 às 16h20

O Campeonato Mineiro não irá voltar no dia 26 de julho. Por meio de um comunicado divulgado nesta segunda-feira (29), a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) informou o veto da retomada do futebol estadual para o final do próximo mês, data desejada inicialmente pela Federação Mineira de Futebol (FMF). A decisão ocorreu após análise feita pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde de Minas Gerais (Coes-MG) do protocolo apresentado pela FMF, elaborado após reunião no dia 17 de junho com o secretário de Saúde do Estado, Carlos Eduardo Amaral, e com integrantes dos departamentos médicos de América-MG, Atlético-MG e Cruzeiro – sem a participação de profissionais dos clubes do interior, como o Tupynambás.

“O Centro de Operações de Emergência em Saúde de Minas Gerais (Coes-MG) avaliou os protocolos apresentados pela Federação Mineira de Futebol (FMF) e pelos times mineiros e que solicitava o retorno às atividades do futebol para o Campeonato Mineiro. Diante de um panorama com piora da situação epidemiológica e assistencial, em que, inclusive, foi recomendado o retorno de todos os municípios que aderiram a Deliberação do Comitê Extraordinário COVID-19 nº 39 de 29 de abril de 2020 (Plano Minas Consciente) para a onda verde, a avaliação feita foi de que nenhum protocolo seria adequado ao momento”, disse a nota da secretaria.

A vontade inicial da FMF era a de retomar a competição com o sistema de disputa pouco modificado. As duas últimas rodadas da primeira fase seriam disputadas com o mata-mata em seguida – semifinais e final, totalizando seis datas, além da Copa Inconfidência, paralelamente realizada entre os times de fora da capital. Todas estas partidas, contudo, segundo o plano da Federação, seriam praticadas em uma única cidade, seguindo rígidas medidas de prevenção ao novo coronavírus. A capital Belo Horizonte era o município favorito, mas a decisão ainda seria divulgada diante do cenário da pandemia no local.

Nesta segunda, a SES-MG confirmou que Minas Gerais ultrapassou as 900 vítimas fatais de Covid-19, chegando a um total de 918 óbitos no estado.

‘Estão brincando com a saúde’

Vice-presidente de Futebol do Baeta, Cláudio Dias elogiou a negativa do Governo do Estado. “O Tupynambás entende que não há segurança para este retorno. O Campeonato Carioca ontem foi a prova disso. Três atletas do Volta Redonda testaram positivo e foram afastados, mas em cima da hora. Quem garante que não contaminaram outros? É muito prematuro pensar em uma volta do futebol. O vôlei está parado, o handebol e o basquete também… só o futebol está com isso de voltar. Não se pensa na saúde, apenas no lado financeiro. A Federação errou ao não falar com os clubes primeiro, 90% dos times do interior são contra a volta. O Tupynambás já cumpriu com o orçamento do Mineiro pagando os atletas até o fim dos contratos”, reforça Cláudio.

O conteúdo continua após o anúncio

O Leão do Poço Rico luta contra o rebaixamento neste Estadual, na lanterna da competição com 3 pontos, um a menos que o Villa Nova, penúltimo, e quatro atrás do Coimbra, 10º lugar entre os 12 participantes. Logo, o time juiz-forano tem que vencer as duas partidas restantes, contra Caldense e Boa Esporte, e torcer contra os adversários para seguir na elite mineira. Claudio ratifica, no entanto, que a dramática situação desportiva do clube no Estadual não justifica a postura da agremiação no processo de retorno dos jogos.

“Todos podem achar que esta posição do Tupynambás é porque ele está em último na tabela, mas a questão é que os casos só aumentam. O Brasil está na contramão. A Europa só voltou porque começou antes lá. Na China, onde tudo se iniciou, já voltou a ter foco perto de Pequim. As pessoas estão brincando com a saúde”, avalia o dirigente.

Secretário elogia protocolo

Questionado sobre o calendário do Campeonato Mineiro durante entrevista coletiva nesta segunda, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, ponderou que o momento atual é delicado, com crescimento dos casos e óbitos por Covid-19 em Minas, mas elogiou o planejamento enviado pela FMF.

“Cheguei a ler os protocolos propostos pela Federação Mineira de Futebol e achei que são bons, muito sérios. Demonstram muito cuidado e atenção com a epidemia. De uma forma geral, a equipe técnica irá avaliar os protocolos e pode sugerir uma ou outra adequação. O que acontece é que, neste momento, em que estamos vendo um aumento da epidemia, com aceleração de casos, enquanto aguardamos os resultados das ações que tivemos de retorno à onda verde na maior parte do estado, entendemos que não seja adequado progredirmos em nenhum evento nesse sentido.”

Sem determinar data, no entanto, ele cogitou a volta dos jogos depois de 26 de julho, com a reavaliação dos protocolos e novo acordo com a Federação Mineira.

Tópicos: coronavírus



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia