Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

Tupi estuda inauguração de parque aquático em janeiro e planeja renda extra

Clube permutou área e terá, em novo prédio, 19 salas com uma previsão de cerca de R$ 30 mil mensais em alugueis; veja fotos

Por Bruno Kaehler

19/11/2020 às 07h00

Estrutura recém-construída ainda não recebe sócios em virtude da pandemia do coronavírus (Foto: Fernando Priamo)

O novo parque aquático do Tupi, finalizado desde maio deste ano, pode ser inaugurado em janeiro de 2021 em virtude da impossibilidade do uso nos últimos meses por conta da pandemia do coronavírus. A estrutura recém-construída foi uma das contrapartidas da permuta do antigo espaço para lazer e natação na sede social do clube, na Rua Calil Ahouagi, no Centro de Juiz de Fora.

Conforme o presidente alvinegro, José Luiz Mauler Júnior, o Juninho, o novo ambiente possui uma área de 750m², situado ao lado do ginásio do clube, ainda na sede. “São duas piscinas, sendo uma infantil, e dois vestiários também, uma obra bonita e funcional. Teoricamente, vamos inaugurar no máximo em janeiro, época de verão que começa a dar sol. Mas depende da onda em que a cidade estiver quanto à pandemia”, explica o mandatário.

Como a Tribuna antecipou ainda em 2019, o contrato firmado entre Tupi e a ACR Empreendimentos assegurava que a empresa ficaria responsável pelas obras do novo espaço aquático e, somente após a conclusão, teria a permissão para iniciar a construção de um edifício inicialmente projetado para receber salas comerciais, aproveitando a proximidade com a Justiça Federal e ao futuro Fórum.

O conteúdo continua após o anúncio
Parque aquático antigo do Tupi, com a Justiça do Trabalho e o novo Fórum ao fundo, dará lugar a um edifício de salas comerciais (Foto: Fernando Priamo)

E é justamente neste ponto do negócio que o Tupi projeta possuir um lucro mensal que justifique a atração do acordo. Após finalizar o empreendimento, a construtora irá ceder, segundo Juninho, 19 salas ao clube, de onde a agremiação deverá ter uma renda que supere os R$ 30 mil mensais.

“Esse é outro ponto importante do negócio, porque o Tupi poderá estar mais saneado financeiramente. Teremos essas salas que imagino que vá nos render R$ 1.500 cada de aluguel. Fora que valoriza demais o imóvel, é uma estrutura toda nova e o Tupi tem condição, inclusive, de explorar o espaço com o próprio clube, às vezes com uma academia, um restaurante, aproveitando a proximidade com o Fórum”, destaca o presidente.

Novo espaço construído na sede tem duas piscinas e vestiários para uso dos sócios (Foto: Fernando Priamo)

Projeto aguarda aprovação

O diretor da ACR Empreendimentos, Cláudio Ferreira, conversou com a Tribuna por telefone e confirmou a entrega da nova estrutura de lazer carijó ainda no primeiro semestre deste ano. O profissional ainda ressaltou que as obras do novo edifício não foram iniciadas, pois o projeto se encontra com a Prefeitura de Juiz de Fora, sujeito à aprovação.

Em relação aos termos do acordo assinado, o diretor afirmou não poder entrar em detalhes. “Por conta da cláusula de confidencialidade do contrato, não podemos falar, mas houve um retorno em dinheiro ao clube, que também irá receber algumas salas”, resumiu.

Tópicos: tupi



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia