Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

TJD rejeita liminares, e volta do Mineiro e rebaixamento estão mantidos

Tupynambás irá treinar em Petrópolis até jogo contra a Caldense, dia 26, sem local definido

Por Tribuna

14/07/2020 às 18h26- Atualizada 14/07/2020 às 19h24

O Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD-MG) negou os pedidos de Tupynambás e Villa Nova de cancelamento do retorno do Campeonato Mineiro no dia 26 de julho e da anulação do rebaixamento nesta temporada. A decisão partiu de Bruno Dias Cândido, presidente do órgão estadual, nesta terça-feira (14). O Baeta buscava, ao menos, a suspensão de suas duas partidas, contra Caldense e Boa Esporte, sem a punição de W.O.

Como o advogado Alexandre José da Costa Franco explicou à Tribuna, a equipe juiz-forana defendeu seu pedido entendendo o reinício da competição irá ocorrer com elevado desequilíbrio técnico, com equipes diferentes formadas, a depender dos interesses no torneio, e ferimento ao protocolo médico de retorno da CBF, que prevê 30 dias, no mínimo, de período de treinos antes da volta aos jogos oficiais. Desde a confirmação da retomada do Estadual, os clubes têm 19 dias de preparação. O Baeta alegava, ainda, que teve que cumprir com os pagamentos aos atletas até abril, mesmo com a paralisação em março, o que acarreta em dificuldades financeiras do clube na formação de um novo elenco.

Na decisão, o presidente do TJD-MG reforçou  que “A FMF elaborou, com auxílio de profissionais de saúde, proposta de protocolo sanitário para práticas esportivas. A referida proposta foi analisada e aprovada pelo Governo do Estado de Minas Gerais, através de um Grupo criado com profissionais habilitados e competentes, especialmente para tal fim”.

O conteúdo continua após o anúncio

Bruno Dias Cândido ainda ressaltou que “a decisão de retomar o campeonato foi tomada de forma democrática, uma vez que foram os próprios clubes que, por maioria, decidiram pelo retorno da competição.”

O Baeta é o último colocado do Estadual com 3 pontos e precisa vencer seus jogos e torcer contra Villa Nova e Coimbra para não ser rebaixado ao Módulo II.

‘Decisão gera jurisprudência’

No Rio de Janeiro, o Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro, nesta terça-feira, manteve a liminar que garantia a Cabofriense e o Nova Iguaçu na Série A do Carioca de 2021, anulando o rebaixamento do Estadual. A decisão foi acompanhada e comemorada pelo vice-presidente do Baeta, Cláudio Dias. “O rebaixamento ainda não é matemático, ao contrário dos dois times no Rio, e essa decisão gera jurisprudência. A CBF deve analisar o resultado e pode até tirar o descenso de todos os estaduais. Há um desnivelamento técnico claro e ainda há chance de suspenderem o rebaixamento”, destaca o dirigente.

Treinos em Petrópolis

Cláudio Dias ainda confirmou à Tribuna que os atletas contratados para o término do Campeonato Mineiro irão iniciar treinamentos em Petrópolis (RJ) nesta quinta-feira. O clube alinhou parceria com a empresa DSG Sports Group. “Eles têm alguns atletas, cerca de 30, e também os colocaram à disposição. E além de um centro de treinamento, possuem uma clínica médica que irá fazer todos os exames para nós sem custos ao clube”, garantiu Cláudio.



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia