Tópicos em alta: CPI dos ônibus / polícia / fé na estrada / reforma da previdência / bolsonaro

Em BH, Ceni se diz orgulhoso em assumir Cruzeiro e quer time ‘rápido e agressivo’

Técnico deixou o Fortaleza após conquistar três títulos e assume vaga deixada por Mano Menezes na Toca da Raposa

Por Wendell Guiducci

13/08/2019 às 09h51

Rogério Ceni “madrugou” em BH e foi conhecer as instalações do Cruzeiro (Foto: Divulgação/Cruzeiro)

Novo treinador do Cruzeiro, Rogério Ceni chegou na manhã desta terça-feira em Belo Horizonte, onde à tarde assinará o contrato até o final de 2020 e será apresentado na Toca da Raposa II, antes de começar a trabalhar efetivamente em campo. No Aeroporto Internacional de Confins, o novo comandante da equipe celeste foi recepcionado por torcedores e conversou com os jornalistas. Disse que se sente orgulhoso e promete um time “rápido e agressivo”.

“Para mim é um prazer muito grande chegar aqui, apesar da noite viajando. Não sabia que vocês (jornalistas) estariam aqui (no aeroporto), achei que falaríamos apenas mais tarde. Para mim é uma honra usar o azul do Cruzeiro. Espero corresponder e fazer o Cruzeiro se reerguer neste momento de dificuldade que o clube enfrenta”, disse o novo treinador, que ressaltou ter muito respeito por Mano Menezes, a quem substituirá.

“Primeiro, é um treinador que ganhou quatro títulos aqui. O Mano tem um estilo de jogo, é um cara que merece meu respeito. Tenho uma característica diferente. Vamos tentar fazer um time mais rápido e mais agressivo possível”, comentou Rogério Ceni.

O conteúdo continua após o anúncio

O novo treinador não escapou de ter de explicar as razões de ter recusado a proposta para comandar o Atlético-MG há quatro meses, quando Levir Culpi foi demitido. “São duas grandes equipes (Cruzeiro e Atlético-MG). Há quatro meses eu não poderia trabalhar em lugar nenhum do Brasil porque eu estava no meio de duas finais de Campeonato: Estadual e da Copa do Nordeste. Eu tinha o desejo de ser campeão. São momentos completamente distintos”, declarou.

Rogério Ceni comandou o Fortaleza em 94 jogos com 51 vitórias, 18 empates e 25 derrotas, tendo um aproveitamento de 60,63%. “O Fortaleza se tornou uma equipe vencedora. Ficar no Fortaleza seria correto. Vir para o Cruzeiro também é correto. Estamos em uma semifinal de Copa do Brasil. É uma situação delicada, difícil, mas não é impossível de se reverter. Quando se tem a oportunidade de conquistar um título, não podemos deixar escapar”, disse.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia