Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Cândido Tostes divulga vencedores do concurso Nacional de Produtos Lácteos

Chefe geral da Epamig, Cláudio Furtado, avalia evento, que superou expectativas de movimentação de negócios


Por Tribuna

21/07/2017 às 06h00- Atualizada 21/07/2017 às 11h29

Foto: Kelly Brito

A divulgação dos vencedores do 43º Concurso Nacional de Produtos Lácteos marcou o encerramento da edição 2017 do Minas Láctea, o maior evento laticinista da América Latina realizado pela Epamig – Instituto de Laticínios Cândido Tostes (ver quadro). Este ano, o evento reuniu cerca de onze mil pessoas nos três dias de realização. A expectativa é que a prospecção em negócios tenha atingido a cifra de R$ 200 milhões. A feira voltou ao seu formato completo e termina com a possibilidade de retomar a sua realização anual, se houver acordo entre a direção da Epamig e o empresariado. Durante o evento, foi anunciado investimento de R$ 2 milhões na revitalização do instituto.

Para o chefe geral da Epamig – ILCT, Cláudio Furtado Soares, o evento conseguiu reunir os elos da cadeia de lácteos para debater avanços de qualidade para o setor. “Realizamos reuniões estratégicas entre Governo, academia e indústria – os três principais agentes que formam a base para o desenvolvimento. Cumprimos nossa missão de criar ambiente propício à inovação e ao crescimento da indústria no Brasil.” Pelas contas do coordenador da Exposição de Máquinas, Equipamentos, Embalagens e Insumos para a Indústria Laticinista (Expomaq), Antônio Nunes, a expectativa inicial foi alcançada. “Levantamento com os expositores indicam a expectativa de R$ 200 milhões entre negócios realizados e prospectados durante o Minas Láctea.”

O conteúdo continua após o anúncio

Um total de 62 empresas de várias partes do país participaram, com mais de 200 produtos, do concurso. O corpo de jurados formado por 31 especialistas, dentre profissionais de universidades, indústrias e serviços de inspeção, avaliam aspectos como cor, textura, odor, aroma, sabor e consistência. Os produtos foram divididos em onze categorias, incluindo vários tipos de queijo, doce de leite, requeijão e destaque especial. Só na categoria destaque especial 17 itens estavam na disputa. O coordenador do concurso, Fernando Magalhães, destacou o número recorde de inscritos, a preocupação dos laticínios com a qualidade dos produtos apresentados, a tradição do concurso e o reconhecimento do mercado aos itens melhor classificados.

As degustações comentadas foram um dos destaques da Exposição de Produtos Lácteos (Expolac), vitrine nacional de derivados do leite. Este ano, cerca de 60 laticínios apresentam mais de 150 produtos. A criação de um ambiente onde o público pode conhecer e experimentar os derivados do leite foi um diferencial aprovado pelos visitantes. Além disso, mais de cem empresas participaram da Expomaq, sendo duas estrangeiras – uma da Itália e outra da Argentina. A presença de 30 estreantes também ganhou destaque entre os 220 estandes ocupados.

Com o tema “A indústria de laticínios na era das startups”, o 31º Congresso Nacional de Laticínios reuniu especialistas do país e do exterior em 20 palestras que promoveram o debate acerca de novas tecnologias. Na programação da Semana do Laticinista, foram oferecidos oito minicursos, ministrados por especialistas em pesquisa e tecnologias em leite e derivados. A qualidade do leite para abertura de novos mercados integrou a pauta dos eventos especiais, realizados em conjunto com entidades parceiras. Entre eles, o “Encontro técnico sobre qualidade intrínseca do leite”, o “Seminário Brasil-Itália”, o “Seminário latino-americano: 3º Inovalácteos” e a “Certificação para Exportação para os EUA”.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia