Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Produtores de Lima Duarte são premiados em exposição de queijo

Sítio Primavera ganha medalhas de ouro e prata com os queijos “Primavera ao vinho” e “Primavera prata” na ExpoQueijo Brasil 2021 – Araxá International Cheese


Por Cecilia Itaborahy, estagiária sob supervisão de Wendell Guiducci

24/11/2021 às 16h16

Queijo “Primavera ao vinho” recebeu medalha de ouro na competição (Foto: Divulgação)

 

Produtores de queijo de Lima Duarte foram premiados na última ExpoQueijo Brasil 2021 – Araxá International Cheese. Na categoria queijo aromatizado, meia cura, com tratamento da coalhada meia cura, o Sítio Primavera ganhou a medalha de ouro com o queijo Primavera ao vinho. Já o Primavera prata, do mesmo sítio, levou a medalha de prata na categoria queijo de vaca, tratamento da coalhada meia cura. O evento é o maior da área no Brasil e visa à expansão do mercado, capacitação e qualificação dos produtores brasileiros.

As medalhas foram entregues aos proprietários do Sítio Primavera em evento promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater/MG) na cidade de Olaria, na última quinta-feira (18). A prefeita de Lima Duarte, Elenice Delgado, e o supervisor de Agricultura, Olivier Paula, estiveram presentes na ocasião e, além das entregas, discutiram a construção da identidade do Queijo Minas da Região Serras da Ibitipoca.

O conteúdo continua após o anúncio

Identidade do queijo na região

Maria Dalva Pereira, extensionista em bem-estar social da Emater, explica que a criação da região produtora do Queijo Minas da Região Serras da Ibitipoca foi iniciada a partir da pesquisa do seu mestrado em desenvolvimento sustentável e extensão, em 2016. A partir dela, foi elaborado um resgate sobre a importância histórica da produção para a economia da cidade. “A região tem registros de produção que remonta ao século XVIII. As características do meio físico (água, clima e relevo) propiciam a produção de queijos de boa qualidade.” No entanto, de acordo com ela, a prática foi sendo abandonada, principalmente por causa das legislações.

Hoje em dia, a própria Emater oferece assistência para orientar os produtores. A legislação foi mudando para permitir que o trabalho seja feito com qualidade, dentro das normas vigentes. Esse processo, para Dalva, foi o que abriu as portas para que a premiação fosse possível. Cinco produtores da região que abrange a Serras da Ibitipoca (Andrelândia, Arantina, Bias Fortes, Bom Jardim de Minas, Lima Duarte, Olaria, Passa-Vinte, Pedro Teixeira, Rio Preto, Santa Bárbara do Monte Verde, Santa Rita do Ibitipoca, Santa Rita do Jacutinga, Santana do Garambéu, Seritinga e Serranos) participaram do concurso. A cidade de Andrelândia também recebeu a premiação com medalha de ouro.

Além de contribuir diretamente para o desenvolvimento econômico dos produtores, a criação da identidade do Queijo Minas da Região Serras da Ibitipoca também tem a finalidade de alavancar o turismo gastronômico. “É uma alternativa para permanência do produtor no campo, principalmente os mais jovens, representa valorização de cultura e faz justiça social”, acredita.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia