Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / lockdown / vacina / polícia / obituário

Fiscalização contra ambulantes irregulares termina em tumulto no Centro de JF

Houve disparo de arma de borracha para dispersão e dois homens foram detidos durante a manobra


Por Marcos Araújo

30/06/2020 às 19h43

Ambulantes teriam arremessado as barracas no chão para tentar evitar a apreensão dos produtos hortifrúti (Foto: Fernando Priamo)

Uma ação de fiscalização de comércio ambulante irregular da Prefeitura, na Avenida Francisco Bernardino, na passagem de nível na altura da Praça da Estação, na região Central de Juiz de Fora, resultou em tumulto na tarde desta terça-feira (30), por volta das 14h30. Um disparo de munição de borracha foi feito em direção ao solo, para dispersar o tumulto e dois homens foram detidos. Ambulantes que mantinham barracas no local para venda de frutas, verduras, legumes e outros materiais relataram que houve truculência por parte dos fiscais e dos guardas municipais.

Eles denunciaram que algumas pessoas que vendiam no local ficaram feridas e tiveram suas barracas jogadas no chão. Mas conforme a assessoria de comunicação da Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaur) da Prefeitura, os agentes públicos foram recebidos com hostilidade pelos vendedores, que arremessaram as barracas no chão para tentar evitar a apreensão dos produtos hortifrúti.

De acordo com a Semaur, durante a ação, foram apreendidos 50 caixas de frutas, verduras e legumes, 65 dúzias de ovos, um saco com roupas, um saco com meias e um saco com cigarros. Segundo a pasta, foi necessário um caminhão para recolher os produtos. Todos os perecíveis apreendidos serão doados ao Abrigo Santa Helena. A secretaria também informou que o local onde os ambulantes se encontravam, além de ser uma área de segurança, devido a travessia da linha férrea, também propícia a aglomeração de pessoas. Por esses motivos, é um dos locais monitorados constantemente pela fiscalização, que havia realizado uma operação especial no local, no último dia 19.

Ambulantes se armaram com barra de ferro, diz a Guarda

Um disparo de munição de borracha foi feito durante o tumulto (Foto: Guarda Municipal)

A Guarda Municipal informou que ambulantes que faziam comércio irregular de mercadorias no local, sem licença da Prefeitura, resistiram à operação conjunta realizada pela fiscalização de posturas, Guarda Municipal e a Polícia Militar e que, ao perceberem que todos os produtos seriam recolhidos, eles reagiram, resistindo à retirada do material, com a derrubada das mercadorias no chão e contra a equipe.

A corporação pontuou que os ambulantes ainda se armaram de barras de ferro e partiram para ataque aos servidores, sendo necessário o uso de equipamentos de menor potencial ofensivo para a proteção dos envolvidos na ação e para repelir a agressão.

O conteúdo continua após o anúncio

Ainda conforme a Guarda, contra a equipe também foram atiradas pedras, sendo feito um disparo de munição de borracha (softhpunch) em direção ao solo, a fim de dispersar o tumulto. A Guarda explicou que esse tipo de munição é semelhante a uma bexiga preenchida com um pó.

“Se não trabalhar, como é que vou manter minha família?”

Uma mulher, de 45 anos, moradora do Bairro São Sebastião, que vendia balas, biscoitos e máscaras, que preferiu não se identificar, contou que estava no local quando os fiscais, acompanhados pelos guardas municipais, teriam chegado agressivos e derrubando as barracas no chão. “Teve um dos vendedores que foi agredido até desmaiar. Da minha barraca levaram tudo, até a armação”, disse a mulher, afirmando que precisa trabalhar para sustentar as filhas de 3 e 7 anos. “Eu não consegui receber o meu auxílio financeiro do Governo até hoje e, se não trabalhar, como é que vou manter minha família? É por isso que estou nas ruas”, disse, acrescentando que teve um prejuízo de cerca de R$ 600. A reportagem não conseguiu confirmar se, durante o episódio, houve pessoas feridas ou que tenham desmaiado.

Outro vendedor que também preferiu não dizer sua identidade afirmou: “Nós não estávamos ali vendendo drogas, estávamos trabalhando, para ganhar nossa vida. Não entendo esse tipo de atitude hostil. Eles não agem com esse tipo de truculência nas bocas de fumo”, afirmou.

Um homem que não pertencia ao grupo de vendedores, mas disse que assistiu ao ocorrido, relatou que ficou muito assustado, pois nunca tinha visto uma situação assim em pleno Centro da cidade. “Houve muita pancadaria, uso de cassetetes e até um disparo de arma de borracha. Quem estava perto ficou com muito medo. Os vendedores que tentaram resistir foram apreendidos e levados”, contou.

Muitas pessoas se aglomeram para acompanhar os desdobramentos da ocorrência. Algumas se exaltaram e gritavam, protestando contra a fiscalização, enquanto outras defendiam a ação dos agentes públicos.

Durante o tumulto, dois homens foram detidos e conduzidos à delegacia de Polícia Civil. Segundo a Guarda Municipal, eles serão enquadrados por ameaça, desobediência, desacato e agressão.

Tópicos: coronavírus

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia