Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

JF possui dez pontos de acolhimento para população em situação de rua

Abrigos e tendas emergenciais atendem população vulnerável durante onda de frio que chega à cidade


Por Mariana Floriano, estagiária sob supervisão da editora Fabíola Costa

29/07/2021 às 19h29- Atualizada 30/07/2021 às 10h43

Nesta sexta-feira (30), Juiz de Fora deve ter o dia mais frio da semana, com mínimas entre 5 e 7 graus e máximas que não devem passar de 12 a 14 graus. A chegada dessa nova onda de frio faz com que o cenário para a população de rua se torne ainda mais complicado. Pensando em atenuar os impactos do frio intenso, Juiz de Fora possui, ao todo, dez pontos de acolhimento espalhados pela cidade. Alguns deles foram montados pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) exclusivamente para a queda brusca de temperatura esperada para os próximos dias.

Uma tenda emergencial foi montada pela Defesa Civil na Praça do Riachuelo, em frente ao Santa Cruz Shopping. Ela ficará disponível até a manhã da próxima terça-feira (3). Lá, estarão disponíveis cobertores e colchonetes e também será viabilizado o recebimento de animais de estimação, armazenamento de carrinhos, carroças e outros objetos de trabalho usados durante o dia. A tenda funcionará como ponto de apoio 24 horas por dia, também recebendo doações para a campanha Juiz de Fora Solidária no Frio.

Tenda na Praça Riachuelo ficará disponível até próxima terça-feira e atenderá 24h como ponto de apoio (Foto: Jéssica Pereira)

A Zona Norte também conta com outros dois espaços emergenciais durante a onda de frio. Em parceria com a Defesa Civil, a sede da Associação de Moradores do Bairro Benfica – localizada na Rua Diogo Álvares, 459 – terá uma tenda emergencial sob coordenação da presidente da instituição, Fernanda Delgado. Já a Associação Municipal de Catadores de Papel e Materiais Reaproveitáveis de Juiz de Fora (Ascajuf) está acolhendo pessoas em situação de vulnerabilidade no galpão da associação, localizado na Rua Júlio Dionísio Cardoso, no Distrito Industrial.

Desde o início de julho a PJF disponibilizou um abrigo emergencial localizado no prédio da Empresa Regional de Habitação de Juiz de Fora (Emcasa), na Avenida Sete de Setembro, 975. Nele, até 50 pessoas poderão ser abrigadas, com espaço para guardar carrinhos e permissão para o acolhimento de animais de estimação e a presença de casais. Ele começa a receber a população às 17h e fecha às 9h.

Além desses, Juiz de Fora conta com outros seis espaços de acolhimento para pessoas em situação de rua à noite. São eles: a Casa de Passagem para Homens, localizada na Avenida Brasil, 265; a Casa Cem, na Travessa Doutor Prisco, 55, no Centro; a Casa Santa Luzia, na Rua Ibitiguaia, 1.240, no Bairro Santa Luzia, a Casa Jardim Esperança, na Rua Padre Acácio Duarte, 2, Bairro Jardim Esperança, a Casa de Passagem para Mulheres, na Rua Oswaldo Cruz, 85, no Centro, e a Casa da Cidadania, na Avenida Ilva Melo Reis, 6001, no Bairro Terras Altas.

Atendimento

O Centro Pop, localizado na Avenida Brasil, 265, realiza o atendimento, durante o dia, caso seja identificada uma pessoa em situação de rua precisando de apoio. A noite, no mesmo local, fica a Casa de Passagem para os homens.

Para que a PJF possa realizar o encaminhamento para um local seguro, basta entrar em contato pelo telefone (32) 3690-7770, das 7h às 23h. Já a partir das 23h, a população deve ligar para a Defesa Civil, no número 199.

O conteúdo continua após o anúncio

Plano de Contingência para Situação de Baixas Temperaturas

A montagem de tendas emergenciais, coordenada pela Secretaria de Governo (SG), é mais uma ação do Comitê Permanente de Gestão de Situações de Baixas Temperaturas. A secretária de Governo, Cidinha Louzada, explica que o objetivo é disponibilizar pontos de apoio. “A ideia é ter um local onde a pessoa possa ir de forma emergencial para se aquecer e ficar protegida do frio. O plano de contingência que criamos junta os esforços de diversas secretarias e órgãos municipais diante dos alertas emitidos pela Defesa Civil”, conta. A secretária agradeceu, ainda, o empenho da Guarda Municipal, da Ascajuf, da Associação de Moradores de Benfica e dos servidores que atuarão como voluntários nas tendas.

O subsecretário da Defesa Civil, Luís Fernando Martins, alerta que o frio intenso aumenta o risco de hipotermia para pessoas em situação de rua e enfatiza a importância da ação emergencial. “A partir do alerta de frio intenso, a Defesa Civil identificou risco para a população em situação de vulnerabilidade e acionou o Plano de Contingência para Situações de Baixas Temperaturas, criado no início do inverno deste ano. É uma situação de emergência, que exige a atuação da Defesa Civil e a solidariedade de toda a população”, ressalta.

Capacitação para trabalhadores dos abrigos emergenciais

Nesta quinta-feira, uma capacitação foi oferecida pela Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) da PJF para trabalhadores que estão auxiliando nos serviços prestados pelo abrigo emergencial, instalado no prédio da Emcasa, e para o público em geral, interessado no atendimento à população em situação de rua.

A qualificação foi realizada de 9h às 11h, e, de acordo com a SEDH, atendeu pelo menos 40 pessoas. Segundo a supervisora de Políticas para População em Situação de Rua do Departamento de Políticas de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (DPDH), Patrícia da Silva Coutinho, o encontro foi positivo. “Esta articulação das políticas sociais é necessária para efetivar os direitos deste público. Se houver pessoas interessadas em contribuir com as ações para a população em situação de rua, principalmente agora nesse período do frio, podem procurar a Secretaria Especial de Direitos Humanos, que nós vamos conversar e qualificar para ajudarem no abrigo emergencial”, afirmou.

Campanha “Juiz de Fora Solidária no Frio” recolhe doações em oito pontos da cidade (Foto: Jéssica Pereira)

Juiz de Fora Solidária no Frio

A campanha organizada pela Prefeitura de Juiz de Fora, desde o final de junho, vem arrecadando doações para a população em situação de rua e para famílias em situação de vulnerabilidade social. Além de cobertores e colchões, a campanha também recebe doações de utensílios descartáveis (copos, colheres, garfos e cumbucas), toalhas, materiais de higiene pessoal (prestobarba e escova de dente) e chinelos masculinos e femininos, que serão destinados para o abrigo temporário instalado no prédio da Emcasa.

Estão sendo recolhidas doações no prédio da PJF (Avenida Brasil, 2.001, Centro), de segunda a sexta, das 8h às 18h. No Passe Livre (Rua Fonseca Hermes, 143, Centro), de segunda a sexta, das 8h às 17h. Na Casa da Mulher (Avenida Garibalde Campinhos, 169, Vitorino Braga), de segunda a sexta, das 7h30 às 17h. No Independência Shopping (Avenida Presidente Itamar Franco, 3.600, Cascatinha), de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 13h às 21h.

A sede da Sesmaur, que fica na Avenida Barão do Rio Branco, 1.843, também recebe doações que podem ser entregues do 1º ao 6º andar do prédio, de segunda a sexta, das 8h às 18h. O Parque da Lajinha, na Avenida Deusdedit Salgado, Teixeiras, recebe doações de segunda a sexta, das 8h às 18h.

Os itens também podem ser entregues no prédio da Emcasa: Avenida Brasil, 2.340, de segunda a sexta, das 8h às 18h, e no alojamento emergencial montado na Praça do Riachuelo, em frente ao Santa Cruz Shopping, 24h por dia, até a próxima terça-feira (3).

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia