Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Homem é condenado a dez anos de prisão por tentativa de feminicídio

Réu foi considerado culpado por ter desferido golpes de faca contra a sua ex-companheira, no Bairro Vila Esperança II


Por Tribuna

24/05/2019 às 19h57

Um homem foi levado a julgamento no Tribunal do Júri de Juiz de Fora, nesta quinta-feira (23), e foi condenado a dez anos de prisão pelo crime de tentativa de feminicídio. O réu, Douglas Ramos da Silva, irá cumprir a pena inicialmente em regime fechado, por ter sido considerado culpado por ter desferido golpes de faca contra a sua ex-companheira, em 25 de junho de 2018, no Bairro Vila Esperança II, na Zona Norte. O crime foi cometido dentro da casa da vítima, que só não foi morta porque gritou e foi socorrida por vizinhos e recebeu atendimento médico.

O conteúdo continua após o anúncio

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Douglas agiu por motivo fútil, atribuindo à ex-companheira a perda de seu emprego e o fim do relacionamento dele com outra mulher que namorava naquele momento. Ainda conforme a denúncia, ele empregou modo cruel para matá-la, agindo com desnecessária brutalidade ao lhe desferir vários golpes de faca, causando-lhe traumatismo na região cervical e perda significativa de sangue. A violência foi cometida na frente dos filhos do casal.

Para a promotoria, a conduta do réu ficou caracterizado como feminicídio, pois foi praticada em contexto de violência doméstica e familiar contra a vítima por ser mulher, sua ex-companheira e mãe de seus dois filhos. Ainda durante o julgamento foi considerado que, em relação à personalidade de Douglas, deveria ser levado em conta que ele já tinha cumprido medida socioeducativa pela prática de infração análoga ao homicídio também com o uso de uma faca, quando tinha 17 anos. No caso do atentado contra a ex-companheira, ele usou a faca com tamanha intensidade que o objeto foi quebrado.

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia