Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Secretaria de Saúde esclarece situação de espera por leito em hospital

Pasta municipal confirmou que demanda por internações tem crescido, mas que trabalha para aumentar capacidade de atendimento


Por Tribuna

22/06/2022 às 19h08

Matéria da Tribuna publicada nesta quarta-feira (22) mostrou, com base em informações da Ouvidoria Municipal de Saúde, que a fila de espera por um leito hospitalar em Juiz e Fora chega a cem pacientes por dia. Em geral, os pacientes aguardam por regulação para uma unidade hospitalar, em busca da realização de uma cirurgia ou demais procedimentos da rede de urgência e emergência. Na ocasião, o jornal questionou a Secretaria de Saúde da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), que se posicionou sobre a situação nesta quarta, em nota enviada à reportagem. A pasta municipal não confirmou o dado, mas afirmou que a demanda por internações tem crescido ao longos dos últimos meses, “em função da sazonalidade, aumento das doenças respiratórias no inverno, e também do represamento dos procedimentos eletivos ao longo dos dois últimos anos, face à pandemia de Covid-19”.

Conforme a Ouvidoria de Saúde, a maior demanda por vagas é para a realização de cirurgias de urgência na áreas ortopédica, geral, vascular, oncológica e pediátrica. Além disso, conforme o órgão, há casos de espera por vagas em leitos de enfermaria e em unidades de tratamento intensivo (UTI). Sobre a espera, a PJF explicou que é preciso considerar que, pela regionalização da saúde do Estado de Minas Gerais, Juiz de Fora é polo de uma macrorregião de saúde, que abarca oito microrregiões em 94 municípios mineiros, sendo referência para procedimentos ambulatoriais hospitalares de alta complexidade.

O conteúdo continua após o anúncio

“Procedimentos de média e pequena complexidade deveriam ser resolvidos no âmbito das microrregiões, mas estas enfrentam dificuldades de assumir esse conjunto de procedimentos, resultando para Juiz de Fora uma demanda adicional, desde a clínica médica, passando principalmente pela ortopedia e obstetrícia”, cita o texto. A PJF ainda afirma que trabalha e discute a questão juntamente com a Superintendência Regional de Saúde, para buscar caminhos de fortalecimento dos hospitais microrregionais.

Além disso, a Secretária de Saúde afirma fazer esforços para ampliar a capacidade de produção e resposta, dialogando com os hospitais. “Estimulamos os hospitais a aderirem ao programa estadual “Opera Mais”, em que o Governo do Estado suplementa valores da tabela SUS. Com isso, conseguimos reduzir bastante a fila de procedimentos eletivos. Ao longo dos últimos três meses já realizamos 4.827 cirurgias no município de Juiz de Fora. Um quantitativo expressivo”, exemplifica.

Por fim, a pasta afirmou que revisa os contratos administrativos com os hospitais e prestadores de serviço, a fim de ofertar mais procedimentos ambulatoriais e hospitalares à população, em especial os de média complexidade como cirurgias, consultas especializadas e exames.

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia