Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

Chuva forte causa queda de árvores e alagamentos em Juiz de Fora

Ventos chegam a 73km/h. Uma árvore caiu no Bairro Santa Helena e o Córrego São Pedro transbordou no Democrata

Por Renan Ribeiro

08/01/2021 às 17h23- Atualizada 08/01/2021 às 21h24

Juiz de Fora voltou a ter uma tarde com fortes pancadas de chuva nesta sexta-feira (8). Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em apenas uma hora choveu 39,2 milímetros no Campus da UFJF, onde estão instalados os pluviômetros do 5º Distrito de Meteorologia. Ainda conforme a medição feita na universidade, entre 16h e 17h, o acumulado foi de 47,4 milímetros. Com as precipitações, até às 18h desta sexta, a cidade soma 235,6 milímetros de concentração pluviômetrica nos primeiros oito dias do ano, o que equivale a 70,9% do que é previsto para todo o mês de janeiro. A média histórica é 332 milímetros.

Córrego transborda

No Bairro Democrata, o transbordamento do Córrego São Pedro fez com que a água fechasse a Rua Vereador Laudelino Schettino, impedindo o tráfego pelo local. Os motoristas precisaram fazer o retorno pela contramão, na Rua Professora Violeta Santos. Mesmo após o temporal, o trânsito ficou congestionado nas imediações. A água também invadiu imóveis da Rua Benjamin Guimarães, que fica próxima ao córrego. Moradores relataram cerca de um metro e meio de enxurrada dentro de suas casas.

Caminhão ficou preso no meio da água (Foto do leitor Nelsinho Rezende)

A estudante de Serviço Social, Fernanda de Araújo, registrou imagens do alagamento: “Toda vez que chove, acontece isso. É muito rápido. Com pouco tempo de chuva, o córrego transborda e alaga o bairro. Vem uma quantidade muito grande de água da Cidade Alta, do Bairro São Pedro. O córrego é estreito e não suporta.”

Há mais de um ano ela testemunha esse tipo de ocorrência, mas a desta sexta-feira (8), segundo ela, parece ter sido maior do que as anteriores. Ela ainda ressalta que os moradores mais antigos do bairro contam que essas situações ocorrem há muitos anos. “Nós ficamos muito assustados. Acompanhamos tudo e é muito complicado, inclusive, o trânsito fica muito ruim. Por ser mão única, as pessoas do prédio ficam ilhadas, sem conseguir sair para nada. Espero que a Prefeitura consiga fazer algo para que melhore essa situação”, relatou a estudante.

Rua Vereador Laudelino Schettino ficou inundada no Bairro Democrata (Foto da leitora Fernanda Bernardo P. de Araujo)

Outros pontos também ficaram alagados, como a Rua José Lourenço Kelmer, próximo à esquina com a Rua José Kirchmaier, no São Pedro; a Rua Sampaio, no Granbery, e o Mergulhão, no sentido Centro, que também teve a pista tomada pela água.

Rajadas de vento chegam a 73km/h

Ainda segundo o Inmet, as rajadas de vento chegaram a atingir 73km/h por volta das 16h. Com isso, uma árvore caiu na Rua Benjamin Constant, na esquina com a Rua Tiradentes, no Bairro Santa Helena. Um caminhão quase foi atingido pelos galhos no momento da queda. Conforme verificado pela equipe da Tribuna, que passava pelo local, a árvore foi arrancada pela raiz e tronco e galhos dificultaram a passagem de veículos pelo local. Alguns motoristas subiram na calçada para seguir caminho. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi deslocada para atender a ocorrência.

O conteúdo continua após o anúncio
Árvore caiu na Rua Benjamin Constant, na esquina com a Rua Tiradentes e, por pouco, não atingiu caminhão que passava pelo local (Foto: Fernando Priamo)

No Bairro Graminha, assim como nas chuvas que ocorreram no último dia 2, faltou energia em toda a localidade. Segundo a Cemig, o problema foi resolvido e a distribuição de energia no local restabelecida antes das 17h. Bairros como Estrela Sul e São Pedro também tiveram queda no fornecimento de luz.

22 chamados atendidos pela Defesa Civil

De acordo com a Defesa Civil, foram atendidos chamados em diversos bairros. No Bonfim houve um destelhamento parcial. No Alto dos Pinheiros foi registrada enxurrada. Três ocorrências de trincas foram notificadas, a primeira, em uma laje do Centro; a segunda, em uma casa do Bairro Milho Branco e, por fim, em uma parede do Bairro Jóquei Clube. Também foram verificadas pelo órgão uma ameaça de queda de árvore no Tiguera e uma queda de árvore no Monte Castelo. Houve também dois chamados no Bairro Santa Terezinha, ambos por conta de infiltrações, uma em piso e a outra em parede. Uma rua ficou danificada no Alto dos Passos. Também houve uma ameaça de escorregamento de talude no Santa Cecília, uma infiltração em parede no São Benedito e uma ameaça de desabamento de muro de divisa no Ipiranga.

No Bairro Santos Anjos houve uma ameaça de escorregamento de talude. Também ocorreu um escorregamento de talude nos Bairros Santa Tereza, São Pedro e Monte Castelo. No Santos Dumont dois pontos de enxurrada em diferentes ruas se tornaram chamados para a pasta. A última ocorrência, até por volta das 20h, foi atendida no Bairro Centenário, onde aconteceu um desabamento de muro de divisa.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, as maiores concentrações de chuva ocorreram e Passos del Rei, onde choveu cerca de 66,83 milímetros; no São Pedro (51,9 milímetros), no Centro (37,23 milímetros), no Santa Terezinha, (36,6 milímetros) e na Cidade Universitária (31,4 milímetros). Por volta das 17h, o volume do Rio Paraibuna atingiu 2,54 metros, ainda de acordo com o órgão.

Instabilidade permanece

De acordo com o 5º Distrito de Meteorologia do Inmet, o quadro de instabilidade deve ser intensificado na Zona da Mata, com previsão de pancadas de chuva. Há condições favoráveis para a ocorrência de chuvas intensas até a manhã deste sábado (9). Isso ocorre em função de uma área de baixa pressão que atua no litoral do Sudeste, aliada a configuração de ventos, em baixos níveis da atmosfera, que vai estar sobre o Estado.

Ainda de acordo com o Inmet, apesar da presença das chuvas, especialmente no fim da tarde e início da noite, o tempo deve permanece abafado em todas as regiões mineiras. As temperaturas devem oscilar entre 18 e 27 graus.

Tópicos: chuva



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia