Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Como um casamento que não ocorreu virou uma ação social

Após perder noivo em acidente de moto, enfermeira usa a data em que ocorreria o matrimônio para ajudar os desfavorecidos


Por Michele Meireles

05/11/2017 às 07h05- Atualizada 17/11/2017 às 08h45

Transformar a dor de uma perda em amor ao próximo. Foi isso que fez a enfermeira Vanessa Cyrillo, 30 anos, no último sábado de outubro (28). O dia era para ser o mais especial de sua vida, quando ela se casaria com Vinícius Valle, 28 anos. Porém, um trágico acidente de moto tirou a vida do noivo, no dia 23 de agosto. Ao invés de se fechar no sofrimento, Vanessa decidiu juntar forças e amigos para fazer uma grande ação social para arrecadar dinheiro, roupas, mantimentos e brinquedos. O evento, realizado na data sonhada para o casamento, uniu dezenas de pessoas na escola municipal do Bairro Eldorado, Zona Leste de Juiz de Fora, região onde Vinícius cresceu, viveu e acabou morrendo. A ação celebrou a vida e o amor, deu a Vanessa conforto para sua dor e ainda a oportunidade de ajudar diversas instituições de caridade, famílias carentes e a população de rua de Juiz de Fora.

Vanessa e Vinícius namoraram por nove anos. Estavam com o casamento marcado para 28 de outubro e casa montada em Matias Barbosa. Quando recebeu a notícia do acidente que vitimou seu noivo, Vanessa cozinhava para ele no imóvel em que iriam morar. Momentos antes, estava colando as tags nos convites do casamento para serem entregues. Duas pessoas, as quais Vanessa chama de “anjos”, foram até sua casa dar a notícia da batida.

“Senti que saí de mim. A sensação é de que eu ia desmaiar. Mas, me veio uma força, mas uma força… Troquei de roupa e saímos correndo para Juiz de Fora. ‘Vou procurar sicrano e beltrano e implorar pra ficar no centro cirúrgico com ele… uma perna ou um braço quebrado? Eu cuido! Escoriações, cortes, contusões? Eu cuido! Uma amputação? Eu cuido! Paraplegia? Eu cuido! Tetraplegia? Eu cuido! Eu largo tudo! Eu caso! Eu te amo ainda mais…'”, relata a enfermeira. Os “anjos” de Vanessa também não sabiam da real situação de Vinícius. Descobriram o desfecho da história ainda no carro, ao lado da noiva. “E houve silêncio. Eu ainda continuava com fé! Quão difícil deve ter sido para eles… eu nem imagino. Quando não era mais possível conter as lágrimas e o desespero, não foi preciso dizer nada.”

Corrente do bem

Daquele momento em diante, Vanessa diz que encontrou força em sua fé para seguir em frente. E cerca de um mês após a perda de Vinícius, uma “inspiração divina”, como descreve, a impulsionou a criar uma corrente do bem. “Sabia que no dia marcado para a cerimônia eu ficaria muito mal, então, pensei em fazer alguma coisa que fizesse bem não só a mim, mas a outras pessoas também. Comecei uma campanha entre os amigos, familiares, para arrecadar mantimentos, roupas e brinquedos, e também fazer esta ação no dia do casamento, para conseguir juntar fundos para doação. Só que tomou uma proporção tão grande, gente que eu nunca havia visto ajudou. Foi incrível tudo que aconteceu”, diz, emocionada.

O conteúdo continua após o anúncio

Com a ajuda de muitos, Vanessa conseguiu realizar uma grande festa na Escola Municipal Vereador Marcos Freesz durante toda a tarde do último dia 28. “Conseguimos doação de cachorro-quente, salgadinhos, água, refrigerante, que foram vendidos no local. Ainda conseguimos doação de pipocas para dar às crianças e pula-pula, além de aferição de pressão, glicose, sobrancelha, pintura facial e aula de dança. O DJ que estava contratado para tocar em nosso casamento tocou na ação social. Um músico de Matias que soube da nossa história também. Meu noivo gostava muito de estar com muita gente, com crianças. Por ele, convidaria todo mundo para nossa festa, ele sofreu para fazer a lista. E acabou que foi isso que aconteceu: estavam todos lá, amigos, familiares dele e meus. Eu até brincava com as pessoas: ‘estão gostando da minha festa de casamento?’ Conseguimos fazer uma coisa linda”, afirmou a noiva.

Sem-Título-1regtewdewqrgeryre
<
>

Após o término da ação, no fim do dia, próximo ao horário marcado para a cerimônia religiosa, Vanessa ainda conseguiu fazer mais um ato de amor: ela doou as comidas que não foram comercializadas para moradores de rua. “Antes de morrer, Vinícius estava muito feliz, tinha conseguido fazer tudo que queria. E foi assim que me senti durante a ação, consegui estar junto de pessoas muito queridas. Eu dançava com as crianças e olhava para o céu pensando: ‘é para você, amor’. Era minha forma de confraternizar”, desabafa.

Outros amores, outras dores

As doações foram tantas, que Vanessa ainda não conseguiu contabilizar tudo. Ela pretende fazer isso nos próximos dias, quando irá elencar para onde levar o que recebeu. Porém, a boa ação não vai terminar após as entregas. “Minha ideia é ajudar o maior número de pessoas e instituições possíveis. E vou pessoalmente em cada entrega. A minha ideia agora é criar a Associação Vinícius Valle, para fazer ações ao longo de todo ano. Se Deus quiser isso vai ser concretizado em breve, quero virar referência.” Além de auxiliar quem precisa de coisas materiais, Vanessa quer que sua história ajude mulheres que passam pela mesma dor que ela. “Depois de tudo isso, descobri muitas outras noivas que também perderam os noivos perto do casamento. Jesus me escolheu para passar por isso por algum motivo, e não vou decepcioná-lo. Se eu fizer o bem, minha dor se transforma em outro sentimento.”

Sobre o motociclista que bateu de frente com a moto de Vinícius e também morreu, o sentimento de Vanessa não é de raiva, pelo contrário. “Desejo que ele esteja bem. Sentir raiva não vai trazer meu amor de volta, e é um sentimento que só faz mal. A família de Vinicius é espírita, eles acreditam que depois que a pessoa cumpre sua missão, isso tinha que acontecer. Se não fosse este motoqueiro, seria outra pessoa. Penso tanto no meu noivo que até esqueço da forma como ocorreu o acidente”, afirmou a enfermeira, que ainda está recebendo doações. Quem puder doar mantimentos, roupas e brinquedos, basta fazer contato com ela por meio de sua página no Facebook: www.facebook.com/vanessa.cyrillo.

“Eu preciso apenas agradecer… a Deus por me dar forças, a todos os envolvidos que me ajudaram a ter um dia maravilhoso. Tomara que o Vinícius tenha recebido toda nossa energia no dia que era para ser o nosso.” E o noivo, de alguma forma, estava lá: na aliança, ainda amassada pelo acidente e carregada no cordão de Vanessa, em cada abraço carinhoso, e nos inúmeros agradecimentos que ela recebeu e ainda vai receber de tanta gente que precisa. “Saudade é o amor que fica.”

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia